Estudo bíblico, mensagem, reflexão e fé

Estudo bíblico, mensagem, reflexão e fé


Prosperando Na Crise - Pr. Adriano Alves Deus fez uma promessa para você. E está ligado a esta promessa “por amor do seu nome”.  ...

Prosperando Na Crise - Pr. Adriano Alves
Prosperando Na Crise - Pr. Adriano Alves


Deus fez uma promessa para você. E está ligado a esta promessa “por amor do seu nome”. 

Muitas pessoas já encontraram paz nestas palavras. Muita dor, angústia e privação já foram dissipadas ao eco desta profecia em forma de cântico. 

Tudo porque o nome deste Pastor é confiável. Se uma só vez ele tivesse falhado, eu não teria condição de descansar em seus pastos verdejantes – mas ele nunca falhou. 

O seu nome é confiável. Dá paz ao mais angustiado dos homens. Ele zela pelo seu nome. E zelando pelo seu nome, cuida de todos que escolheram ser fiel à sua palavra.

São 58 páginas de uma linguagem dinâmica e agradável. A precisão bíblica, as referências e a profundidade da revelação nos mostram como prosperar na crise - e perceber o bem maior que dela podemos extrair.


Quando as portas se fecham, nos sentimos desanimados. Não queremos prosseguir porque achamos que será o fim – sabemos que só haverá ruínas, o mar – e nenhuma saída. E não estamos enganados, será o fim mesmo. Mas é o fim do nosso “achismo” e o começo da nossa dependência de Deus. A estrada para Trôade era a estrada para o fim. Não temas, leitor, ainda que todos estejam dizendo que agora será o teu fim. Você não pode desistir aí, em Mísia. Tome a estrada para Trôade. Quando as portas se fecham por todos os lados, sempre haverá uma estrada para Trôade. Em Trôade nos espera Lucas e Deus te dá uma visão. (Atos 16.6)

                                 
Prosperando Na Crise - Pr. Adriano Alves
Prosperando Na Crise - Pr. Adriano Alves

Porque Jesus não está mais em algumas igrejas? Notemos uma coisa: – Porque Deus se revelou através de João Batista no deserto e não pel...

Porque Jesus não está mais em algumas igrejas?
Porque Jesus não está mais em algumas igrejas?

Notemos uma coisa: – Porque Deus se revelou através de João Batista no deserto e não pelos sacerdotes no templo? O que acontece é que no templo havia homens com tradições e interpretações legalistas – que se achavam grandes. Ao passo que João Batista dizia:


“É necessário que ele cresça e que eu diminua”. (Jo 3.30)

João Batista asseverava o oposto dos religiosos de plantão. A atuação do cristão na igreja, seja na liderança, música, ensino ou diaconia, apenas deve servir para que Jesus cresça e se torne grande em nosso meio. E isto exige uma contrapartida:

— “... toda grandeza humana precisa diminuir e ser anulada.” (Comentário Bíblico Esperança)

Igrejas que se acham cristãs e não o são.

Em Apocalipse 3:20 temos uma mensagem que os religiosos gostam de usar para os descrentes. Mas o que não percebem é que Jesus falava com – uma igreja que ainda se achava cristã – mas não era. Jesus diz o seguinte para a igreja da cidade de Laodiceia:

"Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo."

Esta igreja não era mais cristã por um detalhe simples e fundamental. Jesus diz que não está dentro dela. Mesmo assim o Senhor continua a porta batendo – e querendo entrar.

Negociatas na igreja.

Existimos para glória de Deus e tudo que fizermos deve ter este alvo. Nossas igrejas estão repletas de negociatas e disputas por cargos e posições. Até campos eclesiásticos são barganhados por senhores que mais parecem meninos fazendo “rolo de figurinha”. 

Este espírito de grandeza humana não vê limites. Este sentimento venal tem tomado de assalto o coração de grandes homens e mulheres de Deus. Precisamos estabelecer alvos e definir propósitos em lugar de brigar pelas melhores posições.

— “A disposição do João a minguar em importância mostra sua humildade. Os pastores e outros cristãos podem sentir-se tentados a enfatizar mais o êxito de seu ministério que a Cristo. Cuide-se dos que põem mais ênfase em seus lucros que no Reino de Deus.” (Comentários da Bíblia Diario Vivir ESP)

Valores invertidos na igreja

O grande mal dos que vivem na igreja por autopromoção é fazer a obra de Deus sem Deus – na força do braço. Não faz sentido se desdobrar em prol da obra de Deus e não ter tempo para o Deus da obra.

Querem ocupar o “status” de grandes ministros, mas o verdadeiro propósito passa por uma vida secreta de oração e intimidade com Deus.

 O problema é que as pessoas querem buscar a Deus na multidão, mas perdem o privilégio do momento secreto com Deus. (Mt 6.6-8)

Davi antes de matar o Golias em público, matou o leão e o urso no secreto. (Sl 2.8) Levantar a voz na multidão dá “ibope”, mas chorar aos pés do Senhor em secreto dá intimidade com Deus e faz parte do propósito da nossa criação.

Como viver o verdadeiro propósito como igreja

No Senhor está a nossa resposta. Poderemos descobrir nosso propósito aceitando que não somos o foco. Quando colocamos o Senhor como nosso foco, tudo muda – e fica claro. 

Isto me faz lembrar o jovem Davi, longe de toda a agitação de sua época, nos campos de Belém, o menor de sua casa. Definitivamente não aparecia no cenário religioso ou político da época. Mas de repente o Senhor diz:

“Achei a Davi, filho de Jessé, varão conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade.” (At 13.22)

Qual foi a ocupação desse moço? Que pensamentos encheram o seu coração de tal forma a ser chamado pelo próprio Deus – “varão conforme o meu coração”? 

Davi apenas cumpria suas tarefas e cuidava de umas poucas ovelhas, como bem criticou o seu irmão. Mas grande não é aquele que aparece – antes quem cumpre seu propósito.
Precisamos reconhecer o Senhor como o foco de tudo.

O Senhor Jesus é o dono da igreja

“Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele”. (Cl 1.16)

Se todas as coisas foram criadas nele, por ele e para ele, não posso achar que a minha existência fará algum sentido no mundo da autopromoção.

Que possamos voltar a simplicidade do evangelho e viver como igreja relevante para nossa geração.

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o alcance deste trabalho. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.



Conheça os meus livros AQUI

5 efeitos nocivos de viver em busca da aprovação dos demais. Existe um orgulho capaz de dominar o nosso coração e nos induzir ao erro. ...

5 efeitos nocivos de viver em busca da aprovação dos demais.
5 efeitos nocivos de viver em busca da aprovação dos demais.


Existe um orgulho capaz de dominar o nosso coração e nos induzir ao erro. E é um grande erro quando tudo o que eu faço visa receber aprovação dos demais. 

E pior ainda é quando começamos a classificar as outras pessoas com o mesmo critério. Não podemos  julgar grande aquele que aparece, mas aquele que cumpre o propósito da sua vida.

Paulo entendia o valor de se viver para agradar a Deus

“Mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.” (I Ts 2.4)

Entender isto faz toda a diferença:

A grande verdade é que não dá tempo para viver tudo que as pessoas esperam de mim. Nem um milhão de vidas seriam suficientes. Mas você pode ter certeza que há tempo suficiente para viver tudo o que Deus espera de você.


1° efeito nocivo de viver em busca da aprovação dos demais.


O primeiro efeito, naturalmente, é desviar a pessoa da vontade de Deus. Isto é nocivo porque gera a morte espiritual. Se estivermos fora da vontade de Deus, nosso alvo vai ser comprometido. Este é o conceito da palavra pecado: – errar o alvo. E o salário do pecado é a morte. 

Se o seu foco é se tornar aquilo que as pessoas esperam que se torne, você não vai ter tempo para se tornar o que Deus sonhou para você. (1 Ts 2.4)


2° efeito nocivo de viver em busca da aprovação dos demais.


O segundo efeito nocivo da busca por aprovação é que ela impede o crescimento da fé. Se eu tenho medo da desaprovação, logo vou querer evitar correr este rico. Na estabilidade a fé não pode crescer. Se não há riscos não se faz necessário fé.

— “Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?” (Jo 5.44)

Qualquer coisa que for a mais importante da sua vida se torna o seu deus. Se as opiniões dos outros valem mais para você do que os planos de Deus – não está servindo ao verdadeiro Deus. 

George Miller asseverou nunca ter feito um pedido a Deus que não fosse atendido, mas também nunca fez um pedido a Deus sem ter certeza que era da vontade de Deus. 

Se eu tenho esta convicção bem firme em minha vida, não haverá críticas ou riscos que poderão me deter. Eu confio em Deus e isto me basta.

— “O temor do homem armará laços, mas o que confia no SENHOR será posto em alto retiro.” (Pv 29.25)


3° efeito nocivo de viver em busca da aprovação dos demais.


O terceiro efeito nocivo da autopromoção tem haver com o ciclo de pecados que se estabelece. Você sempre estará envolvido em novos pecados ao se deixar influenciar pelos demais. Até chegar ao ponto da calcificação da consciência, quando não mais sentirá o pecado.

— “Não seguirás a multidão para fazeres o mal; nem numa demanda falarás, tomando parte com a maioria para torcer o direito.” (Ex 23.2)


4° efeito nocivo de viver em busca da aprovação dos demais.


O quarto efeito nocivo da busca por aparecer é se tornar um hipócrita. É quando as pessoas abrem mão de sua fé e valores em nome do que é politicamente correto. 

A origem da expressão “hipócrita” é grega – os atores em suas peças teatrais interpretavam mais de um personagem, trocando apenas a máscara. 

Quem vive em troca de aprovação muda de máscara ao sabor do momento, circunstâncias e do público. Depende da panelinha onde está. É o que chamam também de jogo de cintura. 

O que importa é crescer no meio. Assumir “status” e grandes estruturas faz algumas pessoas pensarem ter sucesso, mas para Deus são abomináveis. O Senhor Jesus não poupou esta classe: 

— “E disse-lhes: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações, porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação.” (Lc 16.15)


5° efeito nocivo de viver em busca da aprovação dos demais.


 O quinto efeito nocivo de viver para agradar pessoas é que isto silencia a mensagem da minha vida. Deus não nos chamou para sermos ecos proféticos, mas sim vozes proféticas na terra.

— “Apesar de tudo, até muitos dos principais creram nele; mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga. Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus.” (Jo 12.42,43)

Não existe uma denominação ou instituição humana nesta terra que não possa corromper-se. O tradicionalismo de muitos grupos religiosos – tal qual nas sinagogas judaicas dos tempos de Jesus – se repetem hoje em muitas congregações. 

Por mais linda que seja a história da sua igreja, ela não pode viver de ecos para sempre.

— “Tradicionalismo é a fé morta dos que ainda vivem. Tradição é a fé viva dos que já morreram.” (Nikolai Berdiav)

Grandes avivamentos impactaram diferentes gerações nestes dois mil anos. E grandes movimentos ostentam suas catedrais para dizer que algo um dia aconteceu. Mas a igreja que cumpre propósito é aquela que pode dizer:

— Algo está acontecendo agora! Em nossos dias!

Oh Glória!!!

Para isto há de se ter muita ousadia para desafiar o tradicionalismo e voltar à essência da fé cristã. Mas não se preocupe. Nem Deus agrada todas as pessoas. 

Não dependemos da aprovação alheia para sermos felizes. Alguns tópicos podem parecer tão importantes para determinado grupo, mas isto é temporário e passageiro. A eternidade o mostrará. 

Eu vivo para agradar uma pessoa apenas – e para ela vou prestar contas de tudo o que fiz na terra. Que possamos de fato ter o Senhor como a tônica mais forte de nossa vida.

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o alcance deste trabalho. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.


Conheça os meus livros AQUI



Os 6 itens da armadura de Deus e o seu significado Os 6 itens da armadura de Deus e o seu significado Há uma batalha acontecendo no ...


Os 6 itens da armadura de Deus e o seu significado

Os 6 itens da armadura de Deus e o seu significado
Os 6 itens da armadura de Deus e o seu significado

Há uma batalha acontecendo no mundo espiritual neste instante. E queiramos ou não, somos parte nesta disputa. Em Efésios 6 – Paulo nos coloca a par desta realidade. A grande questão é:

 
– Deixar a vida me levar ou me equipar como um bravo soldado de Deus? 

Neste artigo, entretanto, quero me ater ao significado de cada um dos 6 itens da armadura de Deus segundo escreveu Paulo.


“Portanto, usem cada peça da armadura de Deus para resistir ao inimigo sempre que ele atacar e, quando tudo estiver acabado, vocês ainda estejam de pé.” (Ef 6:13)

1° item da armadura de Deus e o seu significado.

O cinturão

Este era um largo cinturão de couro com a função de proteger o soldado dos golpes baixos. Também tinha a função de manter as outras partes da armadura bem firme.

O cinturão da verdade (Ef 6.14)

O nosso inimigo tem usado o golpe baixo da mentira desde o Jardim do Éden. Ele mentiu para Eva, insinuando que Deus seria um grande estraga prazer e que ela não precisava fazer tudo do jeito dele. Jesus disse que Satanás é o pai da mentira. Toda vez que alguém vai cometer um pecado, arruma antes algo que justifique aquela prática para sua consciência amortecida. Isto se chama racionalizar o erro. Vivemos em uma geração onde os valores foram invertidos. O errado é chamado de certo, e vice versa.

“Ai daqueles que ao mal chamam bem, e ao bem, mal, que mudam as trevas em luz e a luz em trevas, que tornam doce o que é amargo, e amargo o que é doce!” (Is 5.20)

Jesus é a verdade absoluta que nos protege dos golpes baixos da mentira. Sem a verdade, os outros itens da armadura de Deus não se sustentam. 

"Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade." 
(2 Co 13:8)

A mentira me torna vulnerável. O primeiro ataque do Diabo contra você sempre será o golpe baixo da mentira. Se revista da verdade da Palavra de Deus.

2° item da armadura de Deus e seu significado.

A couraça

Essa couraça era um tipo de colete de couro ou de metal que protegia a parte superior do corpo. Sua proteção, portanto, abrangia os órgãos vitais do ser humano. 

A couraça da justiça (Ef 6.14)

O pecado atenta contra a vida.

“A alma que pecar, essa morrerá” (Ez 18.20)

“O salário do pecado é a morte” (Rm 6.23)

Cristo cumpriu a condenação que pesava contra nós. E morreu em nossa lugar. O viu metal que transpassou seus órgãos vitais fez verter seu sangue como paga pela nossa dívida. Cristo nos justifica perante Deus.

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. (2 Co 5.17)

Jesus também explicou que o Diabo veio para matar, mas ele para dar vida, e vida com abundância (Jo 10.10)

A justiça de Deus garante a nossa vida. A couraça da justiça nos protege do acusador de nossas almas.

3° item da armadura de Deus e seu significado.

O calçado

O soldado romano usava uma espécie de bota que o fazia marchar mais firmemente por longas distâncias. Ela era chamada de caliga. Era uma bota baixa de cano curto, sola maciça e cobertura perfurada.

O calçado do evangelho da paz (Ef 6.15)

“Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz…” (Is 52.7)

A batalha espiritual não é completa se não estamos dispostos a levar a Palavra de Deus. Se estamos abençoados em Cristo, precisamos nos esforçar para que outros possam receber esta abençoadora palavra.

A Paz aqui diz respeito ao nosso relacionamento com Deus.

“Antes vocês estavam separados de Deus e, na mente de vocês, eram inimigos por causa do mau procedimento de vocês. Mas agora ele os reconciliou pelo corpo físico de Cristo, mediante a morte, para apresentá-los diante dele santos, inculpáveis e livres de qualquer acusação, desde que continuem alicerçados e firmes na fé, sem se afastarem da esperança do evangelho, que vocês ouviram e que tem sido proclamado a todos os que estão debaixo do céu. Esse é o evangelho do qual eu, Paulo, me tornei ministro”. (Cl 1:21-23)

Uma vez reconciliados com Deus, desfrutando desta indescritível paz em nossa alma – como ficaremos indiferentes às multidões sem Deus?

Calçar essa bota significa estar capacitado para exercer nossa chamada na obra de Deus – seja você um voluntário ou ministro de tempo integral.

4° item da armadura de Deus e seu significado.

O escudo

Paulo se refere a um escudo grande usado pelo legionário romano. Poderia ser um talher de couro ou uma placa de metal. Deveria ser capaz de deter os dardos de fogo que eram lançados pelo inimigo.

O escudo da fé (Ef 6.16)

Não existe poder capaz de derrotar aqueles que creem em Jesus. Absolutamente nada pode separá-los do amor de Deus revelado em Jesus. (Rm 8.31-38)

O poder da fé é capaz de não apenas deter, mas apagar as flechas incendiárias de Satanás. 

Uma flecha é uma arma traiçoeira, rápida e mortal. Por isto o soldado em batalha precisa manter seu corpo atrás do escudo.

Como adquirir este escudo?

“A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” (Rm 10:17)

Note que não é ouvir a palavra, mas ouvir pela palavra. Isto dá a ideia de um escudo ou um filtro. Se o mundo está dizendo que não tem mais jeito – ouvindo pela palavra você entende que tem jeito sim. Que poderoso escudo contra os ataques de nosso inimigo. Fortaleça a sua fé ouvindo e lendo a palavra de Deus.

5° item da armadura de Deus e seu significado.

O capacete

Chamado de elmo romano, este capacete podia ser de couro, bronze ou ferro.

O capacete da salvação (Ef 6.17)

Em 1Ts 5.8 Paulo explica que está falando do capacete da esperança da salvação. 

É interessante notar que durante as jornadas o soldado não usava o pesado capacete. Portanto tomar o capacete significava dizer que uma batalha já ia começar. Um soldado usava o capacete na esperança de se salvar dos ataques hostis.

A esperança da salvação é bíblica e de grande valia nos momentos sombrios em que somos alvejados por Satanás.

O mesmo Paulo diz em Rm 8.1:

“PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.”

A certeza da salvação é uma garantia de Deus para aqueles que “agora” estão em Cristo Jesus. Ao entrar em um ônibus estou predestinado ao destino descrito no seu itinerário. Se no decurso da viagem eu resolver descer e ficar, logicamente não vou chegar ao lugar predestinado. 

Mas agora eu devo ter a certeza da minha salvação – pelos méritos de Cristo na cruz. (1Pe 2.24)

6° item da armadura de Deus e seu significado.

A espada

Esta é a única a arma ofensiva do conjunto militar citado por Paulo.

A espada do espírito (Ef 6.17)

“E fez a minha boca como uma espada aguda, com a sombra da sua mão me cobriu; e me pôs como uma flecha limpa, e me escondeu na sua aljava;” (Is 49:2)

Há uma diferença significativa entre falar as minhas palavras e proferir a Palavra de Deus. O mundo veio a existir pelo poder de sua palavra. Ela é afiada e penetrante. Pode alcançar as recâmaras mais íntimas da alma humana – a divisão da alma e do espírito.

E esta espada como diz Paulo – é do Espírito. Apenas ele convence o ser humano do pecado, da justiça e do juízo. (Jo 16.8)

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. (Hb 4:12)

Devemos potencializar a proclamação desta palavra por todos os meios, e o seu fruto será gerado pelo meigo Espírito Santo.

Soldados de Deus

Concluímos que somos soldados, mas não em defesa de Deus, pois ele não precisa ser defendido. Pelo contrário, cada item de nossa armadura espiritual foi dado por ele para nos proteger das astutas ciladas de Satanás – e para alcançarmos outras pessoas para Cristo.
Portanto, seja um soldado valoroso.

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o alcance deste trabalho. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.


Conheça os meus livros AQUI

5 lições no deserto com Jesus Na estrada para Betsaida havia uma região desértica –  sem nenhum cultivo. Era um lugar muito solitário ...

5 lições no deserto com Jesus
5 lições no deserto com Jesus

Na estrada para Betsaida havia uma região desértica – sem nenhum cultivo. Era um lugar muito solitário e perigoso. Jesus tinha ido para lá junto com seus discípulos. De alguma forma os habitantes de lugares ao redor ficaram sabendo onde ele iria passar. Quando o mestre chegou ao lugar já havia uma grande multidão o esperando.

Curas e libertação no deserto

Durante todo aquele dia Jesus ensinou e libertou muitas pessoas de doenças e demônios. Eram tantas as necessidades que o dia passou rapidamente. 

Havia cerca de cinco mil homens além de mulheres e crianças – e estavam todos com Jesus no meio do deserto – sem alimento.
A hora já estava avançada e não havia onde buscar alimento. 

Os discípulos tinham apenas cinco pães e dois peixes, que era uma refeição suficiente para treze homens – Jesus e seus discípulos. E eles não viam a hora de Jesus despedir a multidão para comerem. 

Certamente estavam com muita fome depois de um exaustivo dia de trabalho. Mas as necessidades das pessoas eram tantas – a fila não acabava nunca – pessoas sendo impactadas por Jesus – e a hora se foi. 

— E agora? O que fazer com este povo?
— Despede a multidão, porque a nossa comida não dá para todos. 

Mas em pleno deserto, ao anoitecer, homens, mulheres e crianças estavam à mercê de diversos perigos e distante de qualquer provisão.

Eu aprendo,

5 lições no deserto com Jesus

Mt 14. 13-21

1 – As vezes nos confrontam problemas, mesmo sendo nós  discípulos de Jesus.

Jesus disse que no mundo teríamos aflições. Mas sua ordem é para que tenhamos bom ânimo nestes momentos. Há muitas pessoas que se iludem com mensagens do tipo torrão de açúcar – e ficam pensando que servir a Deus é viver em um grande mar de rosas. Mas lembre-se: rosas têm espinhos. 

A vida com Cristo é maravilhosa, mas ainda não estamos imunes aos problemas.

E as vezes nos acometem problemas de grandes proporções. A multidão era vasta (v.14). E além de ser grande, o problema era urgente – o tempo não espera (15). E pior ainda é quando não há o que fazer humanamente falando. 

No deserto com Jesus

Mas é melhor estar no deserto com Jesus do que nas campinas verdejantes sem Deus. Vale mais a pena estar na provação com Jesus do que desfrutar de uma ilusão e não ter sentido para a vida. 

É no deserto que vemos Jesus operar. E aquela multidão sabia muito bem disso. Por isto escolheram estar lá.

2 – Jesus está a disposição para solucionar nossos problemas.

Jesus não permitiria que aquela multidão perecesse no deserto. Então ele faz um pedido. 

Os discípulos deveriam dar o que tinham – que era o suficiente apenas para eles. 

E aqui está uma condição para vermos os milagres de Deus – entregar nossos recursos limitados. 

Eles não iam dar das sobras para Jesus. Não deveriam primeiro tirar o deles e depois, se sobrasse alguma coisa, entregar ao Senhor. Não. Jesus pede aquilo que é significativo para nós. Os discípulos resmungaram. Não pareciam acreditar que Jesus tinha pedido aquilo. Mas sob suas ordens resolveram obedecer

Você quer os recursos ilimitados de Deus? Entregue os seus recursos limitados para ele. Deveriam fazer sem questionar. O egoísmo impede muitas pessoas de aprender esta lição.

3 – Jesus se interessa por nossas necessidades.

Alguém diz que o Senhor tem mais o que fazer para se preocupar com comedor de feijão. Bom, no Oriente Médio se comia pão e Jesus se preocupou com eles. 

Se interessou por seus problemas. 

Ele também se interessa por você – apesar de realmente ser o régio governador de todo o universo – você é mais importante que o mundo todo. Ele te ama e se interessa por você. 

Quem sabe o sistema não dá valor para você. Sua família ou amigos não tenham te compreendido, mas Jesus te considera quando outros não se importam. Os discípulos não se importavam tanto e queriam mandar o povo embora. Mas Jesus olha para você de forma diferente.

4 – Jesus não se limita pela falta de recursos.

Os recursos que eles tinham eram circunstancialmente limitados. Não havia como alimentar tanta gente dividindo as migalhas. Mas o agir de Deus não para só porque nosso recurso acabou. Ele diz:

— Tragam o que vocês têm.

E a obediência à palavra de Jesus trás à existência aquilo que não existia. Eu não sei qual é a sua limitação neste momento, mas venho da parte de Deus te dizer que Deus não se move por recursos – ele se move por propósitos. 
O Deus da visão é o Deus da provisão. Recebe aí em nome de Jesus.

5 – Jesus supre as nossas necessidades.

Jesus mandou que se assentassem, partiu o alimento dentro do cesto e mandou que os doze servissem a multidão. Todos se alimentaram alegremente. Jesus fez o pão se multiplicar dentro dos cestos.

Jesus supre as nossas necessidades com abundância. 

O versículo vinte diz que cada um comeu até ficar satisfeito. E ainda  Jesus nos provê muito mais do que o suficiente, porque o texto diz que quando os restos foram recolhidos, havia doze cestos de sobra.

Abundância no deserto com Jesus

Os judeus eram chamados de cistifer, “aquele que carrega cesto”. Era um costume muito antigo. E os doze discípulos ofertaram naquela tarde o seu alimento e usaram seus cestos para dividir os pedaços e distribuí-los pela multidão. Todos os doze tiveram de volta seus cestos cheios de pães porque Deus não deve nada para ninguém. 


Quando contribuímos com sua obra, temos além de um privilégio, uma garantia de sua fidelidade.

Deus te abençoe!

Como dominar um pensamento negativo? Como dominar um pensamento negativo? Conta-se que em uma distante escola de interior havia um p...


Como dominar um pensamento negativo?

Como dominar um pensamento negativo?
Como dominar um pensamento negativo?

Conta-se que em uma distante escola de interior havia um professor muito dedicado. Mas ele tinha um aluno que, apesar da inteligência acima da média, era preguiçoso e andava revoltado com tantas leituras e estudos.

Certo dia ele foi reclamar com seu mestre:

— Professor, eu não entendo porque tenho que estudar tanto. Por mais que eu leia, não consigo guardar tudo em minha mente. Acho tudo isto muito inútil.

Então o professor olhou firmemente para ele e fez um pedido:

— Eu preciso que me faça algo. Pegue aquele cesto da prateleira e desça até o riacho. Encha o cesto de água e o traga para mim, por favor.

Logo o menino pensou:

— Tá doido mesmo – eu não falei? Onde já se viu? Buscar água com cesto? Vai vazar tudo.

Mas conhecendo a fama do professor, achou melhor não contrariá-lo. Fez como o mestre havia mandado. Desceu ao riacho, afundou o cesto na água, o encheu completamente e subiu. Mas antes de dar dois passos na barranca a água já tinha vazado toda.

O aluno prepotente subiu até a escola todo cheio de si e mostrou o cesto ao professor:

— Eu sabia disso, como pode alguém pedir para buscar água no cesto? Quer que eu pegue um balde agora?

— Você aprendeu alguma coisa com isto meu filho? – Quis saber o professor.

— Não! Não aprendi nada!

— Então eu quero que volte e faça o mesmo.

O aluno não ousou falar “mais” para o mestre. Voltou soltando vento pelas fuças.

Feito o cansativo processo ele diz:

— Não tem jeito... a água vaza... olha aí...!

— E agora? Você aprendeu algo?

— Aprendi que deve ser por isto que inventaram um negócio chamado balde. – Risos...

— Então volte e faça o mesmo! – Respondeu o professor inflexível.

Já pela terceira vez, o rapazinho estava com as faces vermelhas.

— Que será esse homem quer? Não tá vendo que a água não para no cesto. Já estou cansado disto.

Ele fez a quarta, quinta e sexta viagem ao ribeiro – mas não tinha a reposta certa. Não havia aprendido bulhufas. E o mestre o fazia voltar para a barranca do ribeiro.

Na sexta viagem ele já estava com a língua de fora. Enquanto chutava o ar igual o personagem Chaves, teve um insight.

Desceu correndo, fez o processo tudo de novo. Encheu o cesto de água, que em seguida vazou, logo subiu apressado e falou com o professor.

— Aprendi professor! Eu aprendi professor!

— Calma meu filho! O que foi que você aprendeu?

— Eu lembrei que o cesto que o senhor me deu estava muito sujo. 

Tinha teia de aranha, muita poeira e casquinha de barata. Mas agora o cesto está limpo – completamente limpo. Olhe isso.

Qual a lição para nós?

A nossa mente é exatamente como este cesto. Durante nosso dia vamos acumulando pensamentos negativos – muitas sujeiras, poeiras, teias de aranha, resíduos de insetos – e precisamos submetê-la à água da palavra de Deus. 

Mesmo que nossa mente não seja capaz de reter tudo o que lemos e ouvimos, estará sempre limpa e protegida dos germes e bactérias de Satanás.

O segredo para dominar um pensamento negativo

O que aquele menino não sabia é – que tem um jeito de manter o cesto cheio de água – sem vazar. Você sabe como? Não? Então vou lhe falar!

Mantenha o cesto dentro da água – ele vai permanecer cheio e não vai vazar.

Quer manter sua mente e pensamento livre das contaminações deste mundo? 

Medite de dia e de noite nesta palavra. (Sl 1)

A Bíblia é o mais poderoso condicionador de pensamentos de todos os tempos. 

A palavra de Deus é tão poderosa que trouxe a existência tudo o que se vê. Ele disse:

Haja...! (Gn 1)

E todas as coisas vieram a existir. 

Há uma unção poderosa na Bíblia. Ela está a sua disposição. Use-a como condicionador de seus pensamentos.

É muito natural as pessoas usarem o famoso condicionador de cabelos – para que os fios nãos fiquem rebeldes e bagunçados. A Bíblia é o anti-frizz dos pensamentos. 

A situação está difícil e você só consegue pensar coisas negativas, que vão te destruindo cada vez mais? 

– encha a sua mente com a Bíblia – 

Ela é capaz de mudar os seus pensamentos.

Alguém disse:

— Mude o seu pensamento e será capaz de mudar o que for.

Diante dos textos bíblicos você pode tomar uma decisão completamente racional: 

 Acreditar naquilo que ainda não existe com base em um firme fundamento – a fé. (Hb 11)

Pensamentos negativos e indomáveis

Muitas vezes nossos pensamentos estão saltitantes como macaquinhos. Pulam de um galho ao outro e não há quem possa domá-los. Neste momento você pode usar um segredo da Bíblia:

“A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos...” (Rm 10.8)

Os pensamentos estão a mil por hora, mas a Palavra está junto de ti, na tua boca. Então abra a boca e domine os pensamentos. Recite um texto bíblico em voz alta. Cante um louvor. Profetize em voz alta. 

Você está lavando a louça e as lágrimas correndo? A mente está confusa? Condicione seus pensamentos. Jogue anti-frizz do céu neles. Abra sua boca e comece a louvar. Sua boca pode dominar seus pensamentos.

“A vida de um homem é aquilo que seus próprios pensamentos constroem”. (Marco Aurélio)

Uma revolução nos pensamentos

Permita que a Palavra de Deus encha a sua mente de tal forma que elas passem da sua mente consciente para o inconsciente por um processo de osmose espiritual. Daí a vontade de Deus vai operar em você realmente. Permita que a Bíblia opere uma revolução em sua mente agora mesmo.

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o alcance deste trabalho. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.


Conheça os meus livros AQUI



5 atitudes dos pais que geram filhos vencedores 5 atitudes dos pais que geram filhos vencedores As experiências diárias de uma cri...

5 atitudes dos pais que geram filhos vencedores

5 atitudes dos pais que geram filhos vencedores
5 atitudes dos pais que geram filhos vencedores


As experiências diárias de uma criança devem estar repletas de Deus – assim como a sua família. Os pais devem ensinar seus filhos a ver Deus em todos os aspectos da vida.Entretanto, é muito comum aos pais terceirizar este papel para a igreja e a escola.

Depósito de crianças

Muitas igrejas não fazem a sua parte – e tratam o departamento infantil como um depósito de crianças.

Se as igrejas olhassem mais suas Bíblias, perceberiam que as crianças estão no centro do propósito de Deus. Não se trata de um ministério menor para a igreja – e não deve ser menos importante para os pais.

Nossos filhos estão sendo atacados 

Tudo se torna mais perverso para nossos filhos com o ensino público brasileiro.

Sob a égide de Paulo Freire, a pedagogia imposta pelos governos de esquerda têm feito um grande estrago no imaginário infantil. Os conceitos socialistas nas escolas e universidades brasileiras pretendem ser verdadeiras granjas de produzir alienados.

A realidade é que nossas crianças não são capacitadas para ler e compreender um texto sequer. Muito menos sabem o básico das matérias relacionadas com a lógica.

Embora não sejamos especialistas em educação, nós os pais de crianças em escolas públicas, (e eu tenho três) podemos, em casa mesmo, fazer a nossa parte. Existem diversas técnicas de alfabetização em casa – muito mais eficaz do que o aparelhado MEC. Devemos suprir as lacunas do ensino público enquanto a estrutura comunista não for desmontada.

Degradação moral de nossos filhos

Entretanto o mais danoso ato do governo socialista tem sido a degradação moral de nossas crianças, com ideologia de gênero, relativização dos valores morais e zombaria dos preceitos bíblicos.

Dada esta realidade nefasta eu subscrevo aqui:


5 atitudes dos pais que geram filhos vencedores



1- Falar aos filhos a Palavra de Deus

A Bíblia manda ensinar a palavra de Deus aos nossos filhos. Seja nas oportunidades cotidianas, assentado em casa, andando pelo caminho, deitando-se ou levantando-se.

“E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.” (Dt 6. 6-7)

A responsabilidade de mostrar Deus para os filhos sempre será dos pais. Devemos instruí-los nos princípios da Bíblia, e acompanhá-los de perto, passo a passo em suas atividades escolares.


2- Ler as histórias da Bíblia para nossos filhos diariamente

As crianças hebreias sabiam de cor longos trechos da Torá – os primeiros cinco livros da Bíblia.

Ler histórias para nossas crianças é uma grande bênção. Estudos comprovam os benefícios desta prática até para a vida secular.
Crianças com extraordinária capacidade cognitiva normalmente têm pais que leem para elas todos os dias. 

Mesmo que a criança não saiba ler, colherá os benefícios desta leitura compartilhada.


Como fazer leitura para meus filhos?

Ler histórias em voz alta, tendo preferencialmente livros ilustrados poderá abrir a mente e os horizontes de uma criança. 

Mesmo que você ache seu filho muito novo, a Bíblia manda inculcar a Palavra de Deus. Estudos mostram que crianças ente 15 a 18 meses são capazes de aprender uma palavra nova por meio de uma única exposição à imagem que a representa.

Há ainda outros estudos recentes que relacionam o tempo dedicado a escutar histórias com o rendimento na compreensão de textos mais tarde na escola. Ler é melhor que contar de improviso. Um texto contém frases mais elaboradas que uma conversa no dia a dia. Isto faz desenvolver a cognição infantil.

As crianças que escutam mais histórias e por mais tempo, apresentam um desempenho muito melhor no 4° ano do ensino fundamental. Estas crianças tendem a compreender os textos com mais facilidade. 

Leia para seus filhos todos os dias. Não é a toa que os países com maior índice de desenvolvimento humano no mundo, em sua maioria têm raízes protestantes. Valorizam o ensino bíblico, o pensamento conservador, a liberdade individual e os bons valores morais.

Portanto a leitura de histórias da Bíblia para meu filho deve começar o quanto antes – se possível no ventre materno.


3- Dar o exemplo para seu filho, valoriza suas palavras

Os pais precisam viver as palavras de Dt 6.6 para ter autoridade de ensinar:

“estas palavras... estarão no teu coração”. 

Você, pai ou mãe é sacerdote de Deus em sua casa. E seus filhos se constituem na missão mais importante da sua vida sobre a face da terra.

Lembre-se: 

– Você pode ensinar muitas coisas para eles, mas o que vão realmente aprender é o que você faz diante deles.


4- Mostre ao seu filho as consequências do mal feito.


O pai e a mãe que ama verdadeiramente o filho – mostra as consequências de se praticar o mal. Se não o fizerem, a vida se encarregará de aplicar esta aula.

“O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga”. (Pv 13.24)

Seja você o melhor professor de seu filho.


5- Determine ao seu filho quais são os limites

A psicologia ensina que qualquer ser humano sem limites se autodestrói.

“A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe”. (Pv 29.15)

Muitas crianças já não são mais príncipes e princesas de seus lares. Já ocuparam o trono e se tornaram reizinhos e rainhazinhas. São birrentos e não conhecem limites. Para depô-los do trono há de se fazer uma verdadeira revolução armada – com uma varinha bem verde.

“A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela”.Pv 22.15 


Faça de seus filhos vencedores em Cristo.

Devemos orar e jejuar por nossas crianças. A responsabilidade de empreender uma verdadeira batalha espiritual é toda nossa. E devemos contar alegremente os grandes feitos do Senhor.

Asafe explica com as seguintes palavras:

“Vou lhes contar essas coisas para vocês poderem passar adiante a história dos milagres maravilhosos que o Senhor realizou e do seu grande poder, contando tudo isso a seus filhos e netos”.
“Ele deu suas Leis a Israel para mostrar sua vontade ao povo, e ordenou aos antigos israelitas que ensinassem essas Leis a seus filhos”.
“Assim, cada nova geração saberia a vontade do Senhor e ensinaria a geração seguinte, para que sempre confiassem em Deus e nunca esquecessem seus grandes milagres, obedecendo fielmente os mandamentos do Senhor”. (Sl 78.4-7)

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o alcance deste trabalho. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.


Conheça os meus livros AQUI

8 lições na casa de Obede Edom 8 lições na casa de Obede Edom Obede Edom era um homem que buscava escapar de uma sina de maldição e ...

8 lições na casa de Obede Edom

8 lições na casa de Obede Edom
8 lições na casa de Obede Edom

Obede Edom era um homem que buscava escapar de uma sina de maldição e miséria em sua família. É peregrino em busca de um milagre – e não conseguiu encontrá-lo na religião de sua família e tampouco nos rituais filisteus.

 O que buscava este homem em Israel? 

Paz? Prosperidade? A fertilidade? Sabemos que não podia ter filhos. 

Quem sabe se decepcionou com o panteão de deuses de Edom – sua terra natal, e buscou em Dagon, o deus filisteu, suas respostas. Aliás, os filisteus também tinham o seu panteão de deuses. 

Obede Edom agora é conhecido como o geteu, indicando que já estava aculturado como um filisteu de fato.

Mas foi em Gate que ouviu falar do poder do Deus de Abraão, Isaque e Jacó – O Deus de Israel.

Obede Edom percebe a existência de uma força superior

Quais foram os impactos em sua vida da notícia de que o Deus de Israel derrubou a imagem de Dagon? 
Que passou pela mente do prosélito filisteu quando sua terra foi atingida por terríveis pragas? 
Quando os filisteus devolveram a Arca as pragas cessaram imediatamente. Que será que ele pensou ao ouvir esta história?


Obede Edom certamente conheceu Golias e sua família

E logo de qual cidade era ele? De Gate, a cidade dos mais conceituados guerreiros, dentre os cinco principados filisteus. Em Gate havia homens de grande porte físico, conhecidos como gigantes. E lá estava também o campeão carniceiro, Golias. Renomado por seu tamanho, força e experiência. Era o invencível e terrível gigante, protegido pelas forças ocultas de Dagom e todos os deuses filisteus e dos povos conquistados. 

Mas um dia Obede Edom mal podia acreditar que houvesse um poder capaz de derrotar Golias. Que um menino pudesse dizer:

“Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado”. (1 Sm 17.45)

Depois Obede Edom vê um rei mal, ser derrubado de seu trono, e esse menino, agora é o grande rei Davi, homem segundo o coração desse Deus de Israel.

A decisão que mudou a história de Obede Edom

Não sabemos em qual momento este homem decide estar do lado da “Presença de Deus”, mas o fato é que um filisteu com raízes edomitas se mudou para Israel. 

Ser sábio não é acumular conhecimentos teóricos ou técnicos. Ser sábio é ser capaz de observar, analisar e aprender com os erros e acertos de outros. Obede Edom observa, analisa, calcula e chega a conclusão de que só o SENHOR é Deus.

Ele vem morar em Israel carregado de maldições da idolatria cananeia. Era tido pelos religiosos israelitas como uma escória. Um inimigo a ser cuspido e humilhado. Não podia ter filhos, nada ia para frente na sua vida e negócios. Mas uma certeza ele tinha:

“O Deus de Israel é o único que pode mudar a história da minha família”.

Deus escolheu Obede Edom

Um dia o rei Davi se entristeceu muito com a morte de Uzá e no meio do caminho temeu levar a Arca da Aliança.
Alguém vê um casebre à beira da estrada e diz:

— “Ali mora um homem! Podemos deixar a Arca sob seus cuidados!”

Mas os religiosos de plantão devem ter protestado: 

— “Tem um problema! Ele não é hebreu, não é da nossa linhagem, não é dos nossos. E pior de tudo, é filisteu de Gate, é nosso inimigo. E ainda é de raiz edomita”.

Mas quando Deus escolhe está escolhido. Não importa se você é magrinho, ou gordinho, branco ou negro, se tem cabelo enrolado ou liso - importa ser escolhido por Deus.

Quem sabe os protestos engrossaram:

— “Ele é inimigo número um de nossos pais. É Obede Edom, cujo nome significa servo de Edom. Ou seja, servo de Esaú, de quem descende os edomitas, uma nação inimiga de Israel à séculos. 

Mas Deus escolheu e pronto. 

Em 2 Samuel 6.10 diz que ele é geteu, ou seja, da mesma cidade de Golias, o gigante filisteu que Davi matou anos antes. Não era um homem confiável por qualquer avaliação. Mas Deus o havia escolhido.

Obede Edom pensa ter chegado ao fim

Imagino que quando Obede Edom vê o grande rei Davi se aproximando de sua casa, pensa:

— “Pronto! Agora eu vou morrer. Não tenho filho. Minha mulher é estéril. E ainda vou morrer agora.”

Eu preciso abrir um parêntese nesta narração agora. Eu quero falar para você que está achando que é o teu fim. Você está equivocado. Deus escolheu a sua casa. Valorize a “Presença de Deus” e tenha certeza de que o Deus de Israel é fiel.

A Arca da Aliança na casa de Obede Edom

Então a Bíblia nos informa que Davi deixou a Arca da Aliança na casa de Obede Edom, um filisteu.

Imagino que toda vez que Obede Edom olha para a Arca se alegra por sua “Presença”. O Senhor prosperou a casa de Obede Edom poderosamente. 

Esterilidade nunca mais. 

A maior riqueza de uma família naqueles dias eram os filhos. Mas sua esposa era estéril. Então Deus sopra no ventre dela.
A Bíblia relata que Deus deu oito filhos para Obede Edom. (1 Crônicas 26.4-5)

Vamos aprender 8 lições na casa de Obede Edom através dos nomes que ele dá aos seus filhos.


8 lições na casa de Obede Edom

O primeiro filho recebeu o nome de 

שמעיה Sh ̂ema Ìyah or:

1 - Semaías: Ouvido Pelo SENHOR

O que aprendemos com o nome do filho primogênito de Obede? A mensagem de Deus para nós é simples. Deus nos ouve. Deus responde oração.

Eu preciso profetizar sobre sua vida nesta hora. E dizer que Deus vai acabar com a esterilidade do seu ministério. Deus vai arrancar a esterilidade da sua família. Se não produzia, se não crescia, vai crescer, vai prosperar. Deus vai renovar. Porque Deus responde oração.

À quanto tempo você está orando por esta causa? 

Por vinte e quatro anos Ana orou por Samuel. Quando Samuel nasceu ela disse:

“Por este menino orava eu; e o SENHOR me concedeu a minha petição que eu lhe tinha pedido”. (1Sm 1.27)

Em Jeremias 33.3 Deus diz:

“Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes”.

Para Obede Edom não interessava saber aquilo que estavam fofocando ao seu respeito. Uma coisa apenas interessava a ele. Uma coisa apenas ele pensava:

— “Deus vai fazer coisas grandes”.

Semaías, a resposta de Deus estava chegando. E se era resposta de oração, era sinal de que Obede Edom era homem de oração. 


Há quanto tempo que você está orando? 


Não estou falando apenas de gravidez, mas de resposta daquilo que você está buscando no Senhor.
Semaías tipifica a resposta de Deus que você está buscando. Valorize a “Presença”. Creia na fidelidade de Deus.


Então Deus diz:


— “Vai nascer mais um”.

יהוזבד Y ̂ehowzabad


2 - Jozabade: “Jeová dotou”


O menino ganhou este nome porque Deus havia dado a Obede Edom aquilo que havia pedido. Deus tem prazer em atender aos pedidos de seus filhos. Seja em qual área de sua vida for:

 “Espiritual, familiar, material, financeira, profissional ou ministerial entre tantas outras”.

Assim como Obede Edom coloca sua família como testemunha do Senhor, Deus quer fazer em sua família. E cada vez que alguém olhar para você poderá asseverar que o Senhor o dotou.

E o Senhor diz:

— “Não vai ficar apenas nestes. Tem mais”.

E nasce o terceiro filho:

יואח Yow’ach


3 - Joá : “Jeová é irmão”


Este nome aponta para o Deus que se permite ser nosso íntimo amigo. Como um irmão. Muitas vezes nesta terra os amigos nos decepcionam. Traem-nos e usam de falsidade. Irmãos querem rasgar sua túnica, encharcá-la de sangue e dizer ao pai:

“Ele morreu”.

Mas Obede Edom, lá do meio do vale, dizia:

“Jeová é irmão”.

É ele que nos abraça nos dias de inverno. É ele que me consola. Ele é meu bálsamo. Ele é meu amigo. Ele é Deus. E quando o Senhor Jesus, Deus Filho, nos faz filhos de Deus, também nos faz seus irmãos, porque ele é agora o primogênito, e nós somos seus irmãos. O SENHOR é irmão.

Mas vem o quarto filho

שכר Sakar


4 - Sacar : “Salário”


Tenho certeza que muita gente gostou desta parte. Eu nunca ouvi dizer que Deus despede alguém com mão vazia. Deus não fica devendo nada para seu ninguém. Ele paga com juros e correção monetária.

Obede Edom sabia disto. Certamente seu prazer era ouvir as histórias do grande Deus de Israel. Tanto que mudou-se para Israel. 

Ele sabia que havia uma recompensa. Ele aceitou alegremente a chegada da Arca porque sabia do poder do Deus hebreu. Tem muita gente que diz:

— Você não pode fazer algo a Deus esperando receber bênção em troca. Isto é mercantilismo da fé. 

Na verdade estamos diante de um grande engano de Satanás, que tenta roubar o prazer de Deus. Deus tem prazer em que tenhamos expectativas quanto às suas promessas. A  é uma certeza gerada no coração, baseada em uma promessa de Deus — de algo que não podemos ver, mas temos certeza que virá. Devemos esperar recompensa sim. 

O quinto filho foi,

נתנאל N ̂ethane’l


5 - Natanael: Dom de Deus


Ele reconhecia que tudo que estava recebendo era por um motivo. Deus o estava abençoando. A palavra dom significa presente. E presente é algo que não se paga para merecer. O mérito é do presenteador. O dom é de Deus. 

E a notícia se espalhou. Era pública e notória a prosperidade de Deus na vida do homem geteu, antes pobre e sem filho, agora um pai de uma família vitoriosa.

Ainda vem o sexto filho

עמיאל ÌAmmiy’el


6 - Amiel : “Meu parente é Deus”


O nome Obede Edom apontava para sua raça edomita. Seu apelido, geteu, apontava para sua cultura filisteia. Mas há uma força maior que o transformava e o enchia de outro orgulho. 

Podiam até chamá-lo de Obede Edom – O Servo de Edom. 

Podiam até chamá-lo de geteu ou até de primo do Golias sem cabeça. 

Mas sua genética espiritual estava completamente transformada. Era um verdadeiro reGENErado. Tinha um novo GENE. Sua família estava vivendo o novo de Deus. 

Agora, com razão podia colocar este nome no sexto filho – Amiel. Porque realmente Deus era seu parente. Sua família agora tinha o DNA do céu.

Deus mandou o sétimo filho:

יששכר Yissaskar


7 - Issacar: “galardão”


Em Isaías 55.6 está escrito:

“Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”.

Fico pensando em como foi a jornada deste homem. Como deve ter buscado com todos os seus recursos o milagre de que precisava. Peregrinando de uma nação à outra atrás de religiões. 

Mas um dia lhe ocorre um pensamento. Eu vou fazer uma mudança de 180 graus. Eu vou buscar o Deus de Israel. 

Depois de conquistar a vitória para sua família ele pode dizer que Deus é o seu galardão, ou seja, a sua recompensa.  

A maior descoberta do crente não é a bênção que Deus pode dar. 

Melhor mesmo é ter o Deus da bênção do que a bênção de Deus. Muitas pessoas lotam igrejas e campanhas em busca de um milagre. Mas fora disto não querem um compromisso com Deus. Não valorizam a “Presença”. Querem apenas fazer negócio com Deus. Negócios são negócios, amizades à parte. Mas Obede Edom acaba descobrindo algo maior. 

Melhor do que todos os milagres que Deus operou em sua família, é estar na “Presença de Deus”. Daí ele reconhece que o seu verdadeiro galardão não eram bens ou milagres. Deus era o seu galardão.


Então vem o oitavo filho:

שביעי sh ̂ebiy Ìiy ou


8 - Peuletai: Obra do Senhor


Notadamente algumas pessoas não conseguem reconhecer a fonte de sua prosperidade. Mas veja o que o Senhor diz:

“Quando, pois, tiveres comido e fores farto, louvarás ao SENHOR, teu Deus, pela boa terra que te deu”.
“Guarda-te para que te não esqueças do SENHOR, teu Deus, não guardando os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus estatutos, que hoje te ordeno; para que, porventura, havendo tu comido, e estando farto, e havendo edificado boas casas, e habitando-as, e se tiverem aumentado as tuas vacas e as tuas ovelhas, e se acrescentar a prata e o ouro, e se multiplicar tudo quanto tens, se não eleve o teu coração, e te esqueças do SENHOR, teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão; que te guiou por aquele grande e terrível deserto de serpentes ardentes, e de escorpiões, e de secura, em que não havia água; e tirou água para ti da rocha do seixal; que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheceram; para te humilhar, e para te provar, e para, no teu fim, te fazer bem; e não digas no teu coração: A minha força e a fortaleza de meu braço me adquiriram este poder. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires poder; para confirmar o seu concerto, que jurou a teus pais, como se vê neste dia”. (Dt 8:10-18)


Obede Edom não passou por estes infortúnios do deserto com os judeus, mas ele sabia qual era sua história. Se agora era um homem próspero, pai de oito filhos, isto só podia ser Obra do Senhor.


O texto de 1 Cr 26.5 termina a lista dos oito filhos com a sublime explicação: 


“Porque Deus o tinha abençoado”.

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o alcance deste trabalho. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.


Conheça os meus livros AQUI