O inferno existe? De que consiste? Seria uma câmara de tortura, como no folclore popular, o caldeirão do tinhoso, um lugar onde pessoas sã...

O Inferno Existe? Será Eterno?


O inferno existe? De que consiste? Seria uma câmara de tortura, como no folclore popular, o caldeirão do tinhoso, um lugar onde pessoas são torturadas com fogo? É eterno ou um lugar de aniquilamento de pessoas?

O escritor aos Hebreus nos afirma que após a morte nos espera o juízo, ou seja, enquanto há vida podemos mudar o nosso destino eterno, depois da morte não. Ocorre que existe uma corrente chamada aniquilacionismo, ensina que Deus irá aniquilar pessoas que não quiserem seguir sua vontade. Deus estaria dizendo: - Ou você me serve ou deixará de existir. Simples assim, por livre e espontânea pressão. Isto é imoral. Deus não estaria respeitando o livre arbítrio que deu as pessoas. Se Deus quisesse obrigar alguém a lhe servir, teria criado seres teleguiados por controle remoto. Mas ele não quis seres programados para gostar dele. Deus criou seres com personalidade, o que inclui a emoção, inteligência e vontade. Viver sem Deus é ruim, e ficar a eternidade longe dele é infinitamente ruim. Este é o apelo dos pregadores bíblicos. Jamais Deus usaria expediente tão imoral, que é a aniquilação de quem não quis servi-lo. Isto vai contra o princípio do livre arbítrio.

A confusão ocorre justamente quando citam a segunda morte ou morte eterna de Apocalipse. Interpretam como aniquilação do espírito humano que não quis a Deus. Ou seja, aquela "persona" é deletada, deixa de existir. Quando médicos dizem que houve morte encefálica, um cérebro não deixou de existir, não evaporou dentro do crânio. O cérebro deixou de funcionar. Para estar sem vida não é necessário deixar de existir. Da mesma forma, todo o nosso corpo reúne cinco funções: Tato, Paladar, Olfato, Audição e Visão. A única razão científica para declarar um corpo morto é o cessar definitivo de suas funções. Ou seja, morrer é para todos os efeitos deixar de funcionar e não deixar de existir. Aliás, não se pode declarar uma morte sem um corpo, ou uma boa explicação para a sua ausência. Se o corpo tem cinco funções, o espírito tem três: os quais são comunhão, consciência e intuição. São três antenas espirituais. Através delas podemos perscrutar as evidências de Deus no Universo, podemos basear nelas nossa decisão entre o certo e o errado. Podemos ter comunicação com Deus e pela fé vivermos em plena comunhão com Ele. A morte espiritual, assim como a física, não significa dizer que a "persona" deixou de existir, mas que as funções espirituais cessaram. Seus canais de comunhão com Deus não são mais acessíveis. A pessoa, isto é, a alma, representada pela emoção, inteligência e vontade, não precisam ser imoralmente deletadas.

Apesar de todo esforço de Deus em atrair homens e mulheres para si, sem interferir no livre arbítrio, muitas pessoas se decidem contra Ele e bilhões não se decidem por Ele. Se Deus deletasse estas pessoas pelo fato de não gostarem dele, Deus estaria sendo imoral. Isto é impossível. Deus é Santo, Puro e Moral.

Então o que acontece com as pessoas que tem morte física estando infiéis ao Senhor? Simples, não quiseram Deus, vão ficar longe de Deus. Daí as três antenas espirituais não funcionarão mais, deixarão de funcionar definitivamente, isto significa morrer eternamente. Não significa que a pessoa deixou de existir, que foi deletada ou coisa semelhante. Significa que a pessoa está espiritualmente longe de Deus em caráter eterno e irreversível, completamente entregue a si mesma e aos mais vis sentimentos humanos.

Morte espiritual, segunda morte ou morte eterna é isto. Jesus falou mais do inferno do que do céu, apontando para a seriedade do tema. O fogo nunca se apagar e o bicho nunca morrer na ilustração de Jesus significa dizer que: "- Estar longe de Deus é infinitamente ruim." A Bíblia fala muitas vezes sobre o fogo, e o usa como figura de linguagem de muitas maneiras. Até sobre Deus está escrito que é um fogo consumidor. Deus não é um grande maçarico cósmico, fogo aqui está simbolizando juízo. E quando a Bíblia se refere ao inferno como lugar de fogo e enxofre, não deveríamos pensar em um grande forno cósmico a queimar eternamente, como as pessoas pensam, mas no juízo impetrado sobre as escolhas dos habitantes do mundo dos mortos sem Deus e sem Jesus Cristo.

Urge, portanto, que nos aproximemos de Deus com coração sincero para conhecer o dever a fim de segui-lo. O único meio de se aproximar de Deus é através de Jesus Cristo, o caminho, a verdade e a vida. O amanhã não nos pertence, nem o depois, tomemos agora a nossa decisão, enquanto há vida.

Sacudiremos de sobre nós o seu manto paternal e rangeremos nossos dentes contra Ele ou nos dedicaremos a sua busca, o conhecendo a cada dia e cada vez mais?        

Com a palavra:
Você!!!