Um obreiro que gasta sua saliva detonando outro obreiro deveria aprender com as torcidas de futebol: — O que fariam com um jogador ...

Obreiro Perseguindo Obreiro








Um obreiro que gasta sua saliva detonando outro obreiro deveria aprender com as torcidas de futebol:

— O que fariam com um jogador que vivesse fazendo gol contra? 

Quem dedica seu ministério para desconstruir o ministério dos outros, com certeza, é do time adversário.


“Vivemos em uma geração onde os piores inimigos do ministério de um obreiro são os que deveriam ser companheiros de ministério”.

Porque alguns ministros perseguem companheiros de ministério?

Por que ainda são meninos na vida cristã.

Isto mesmo, Paulo chama os coríntios de meninos. Não eram espiritualmente saudáveis e amadurecidos. A prova era que brigavam como meninos, permitindo que as divisões os distraíssem.

Em nossa geração também nos cansamos de presenciar ministros meninos, que gastam suas energias perseguindo outros ministros. 

Faltam valores éticos e sobram cinismos. Precisamos aprender com Paulo: 

— “Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Pelo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”. (I Co 3. 6,7)

Se no capítulo dois de I Coríntios Paulo distingue a pessoa espiritual da pessoa natural, agora no capítulo três mostra-nos a pessoa carnal. Até são crentes, mas são como criancinhas. E uma criança briga por assuntos sem relevância.

Causa-me ânsias até aquele costume de se fazer em cima de cantor ou pregador famoso. Parece que o fato de criticar um obreiro de visibilidade faz o “crianção” se sentir mais importante. 

Virou até moda criticar letra de cantores famosos, como se fossem ingênuos para não entender o que o poeta quis dizer. Como se fosse possível fazer um tratado teológico completo em três estrofes de uma poesia. Todo mundo sabe que o poeta tem licença para “errar”, ou seja, a gente sabe o que ele quis dizer nas entrelinhas das rimas. Mas basta fazer algum sucesso para atrair os “sambalates da vida”. 

Igualmente, pregadores que renunciaram suas vidas e já labutaram muito no ministério, quando por algum motivo ficam famosos, passam a ser implicados por aqueles que deveriam estar orando e jejuando por eles.  

É claro que ninguém está obrigado a concordar com tudo. Cada pessoa tem seu temperamento e personalidade. Mas as dificuldades na vida ministerial, muitas vezes, são causadas por obreiros invejosos como Josué perseguindo Beldade e Medade. (Nm 11.27-29) 

Ou obreiros fofoqueiros e faladores como os discípulos de João que eram contra o sucesso do próprio Jesus. (Jo 3.25-26). 

São exemplos de falta de humildade e arrogância como Coré, Datã, Abirão e Om. (Nm 16.1-2) 

Há também muitos profetas velhos que na verdade são parciais, perseguem os outros, mas omitem erros da própria família e passam a ser hipócritas. (I Sm 3.13-14) 

Quem persegue companheiro de ministério me lembra o tal Aimaas, porque são desobedientes e sem mensagem, mas querem se sentir melhor com a desgraça dos outros: 

“E prosseguiu Aimaás, filho de Zadoque, e disse a Joabe: Seja o que for deixa-me também correr após Cusi. E disse Joabe: Para que agora correrias tu, meu filho, pois não tens mensagem conveniente? (II Sm 18.22) 

Na verdade já perderam o respeito a Deus por isto não respeitam mais o profeta, como Saul no caso do sacrifício. (I Sm 13.13-14) 

Deveriam se lembrar do que aconteceu com Usá quando cheio de “boa vontade” executou sua tarefa de forma errada, já que de boa vontade o inferno está cheio. (II Sm 6:3-7)

Devemos também lembrar quem matou Abel - seu próprio irmão. 

Quem vendeu José também foram seus irmãos. 

Igualmente foram os próprios irmãos que expulsaram Jefté. 

E o que dizer da inveja dos irmãos de Davi? 

Também sabemos quem não ficou contente com a volta do filho pródigo -seu irmão. 

Entretanto a bênção de Deus estava sobre a vida destas pessoas, não obstante serem perseguidos pelos seus pares.

Concluamos sob o eco apostólico de I Co 3.3: 

"Porque ainda sois carnais. Pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens"?


Segredos do Obreiro Aprovado - 

Adriano Alves - Missão Editorial

Utilizado em seminários de obreiros e grupos de estudo - esse livro mostra os métodos de Jesus e seus apóstolos e como aplicá-los em nossa geração. Versão e-book - 62 páginas - por apenas R$3,90.

VER O PRODUTO