Frequentemente vemos notícias de animais silvestres que precisam ser resgatados em nossas metrópoles. Onças, cobras, jacarés... - O que i...

Se existe um Deus bom, como explicar as tragédias?


Frequentemente vemos notícias de animais silvestres que precisam ser resgatados em nossas metrópoles. Onças, cobras, jacarés... - O que imaginam estes animais quando atingidos pelos dardos de tranquilizantes? Pensam estar diante do inimigo! Que aquelas pessoas estão ali para fazer-lhes mal. Estes animais não têm como saber que o resgate está ali para tirá-los da zona de perigo e devolvê-los à natureza. Da mesma forma a mente humana está limitada em muitos aspectos, murmurando contra a existência de um Deus bom, quando confrontados com as tragédias.

Em primeiro lugar, o mal evidencia que o bem existe. Se as pessoas ficam indignadas com o mal, é porque sabem muito bem a diferença entre o bem e o mal. Se usam o padrão do bem para julgar o mal como errado, têm uma noção do que é correto. Esta noção é real, é o Bem Supremo que se revela ao mundo, o Senhor nosso Deus. Se Deus não existisse, onde encontraríamos o padrão de bondade pelo qual julgamos o mal como mal? Um aluno só pode saber se sua nota é boa ou má, se tiver um padrão verdadeiro, que é a nota 10.

Dizer que Deus é bom significa dizer que é absolutamente perfeito em todos os sentidos. Não condena o inocente e não absolve ao culpado. A Bondade de Deus está atrelada a sua eternidade. Para ser eterno, tem que transcender os limites do universo. Para ser transcendente, tem que ser perfeito, para ser perfeito, é bom.

O ateísmo pensa arranhar a imagem de um Deus bom, citando a existência do mal no mundo. Logo, assimilam que se o mal existe, Deus não pode existir. Mas por esta "lógica" a recíproca é verdadeira: - Se não houvesse um criador, se tudo fosse produto da evolução, se aceitássemos a teoria da eternidade do universo, ou da matéria, então tudo deveria ser perfeito, porque a eternidade teria sido tempo suficiente para que o mundo evoluísse até a perfeição. Mas como todos nós reconhecemos a existência do mal no mundo, ele não pode ser eterno. Como bem demonstra a teoria do Big Bang, o universo teve um começo. E tudo o que começa existir tem uma causa.

Portanto negar a existência de Deus e Sua Bondade é apenas uma resposta fácil e vulgar, completamente desprovida de lógica. Normalmente não são as pessoas que sofrem que se tornam céticos, pelo contrário, são pessoas que assistem a dor dos outros, e tentam colocar-lhe um belo laço filosófico, passando a duvidar da existência de um Deus Bom. As pessoas que demonstram fé mais vigorosa geralmente são as que provaram a dor pessoalmente.

Deus não permitiu o sofrimento de Jó por não ser um Deus de bondade. Pelo contrário, por sua Bondade levou Jó a conhecê-lo face a face. A resposta para nossa dor é o Deus de bondade. Ele saiu de sua imunidade à dor quando nos visitou em Jesus Cristo. Quando viveu a nossa dor, e comeu a dor e o sofrimento do mundo inteiro na cruz. Na angústia de nossa alma, na perplexidade das tragédias que nos assolam, precisamos conhecer Jesus. Nele encontramos resposta. Aceite Jesus como único Senhor e Suficiente Salvador.

BIBLIOGRAFIA:
Sete Respostas Sobre a Existência de Deus - Missão Editorial - Adriano Alves
Em Defesa da Fé - Vida - Lee Strobel
Pontos Difíceis de Entender - CPAD - Antônio Mesquita

7 Respostas Sobre a Existência de Deus - Adriano Alves - Missão Editorial

Se Deus existe, porque não podemos vê-lo? Se Deus é bom, porque permite o mal e o sofrimento? E como explicar o inferno? A Bíblia merece confiança? Posso interpretar a Bíblia do meu jeito? Estas e outras questões são abordadas nesta obra de forma concisa e dinâmica. Versão e-book - 62 páginas - por apenas R$3,90.

 VER PRODUTO 


Para versão impressa basta enviar mensagem via whats app (43) 99639-0146 (R$20,00 por exemplar) FRETE GRÁTIS