Estudo bíblico, mensagem, reflexão e fé

Estudo bíblico, mensagem, reflexão e fé


O s filmes de ficção científica exploram a ansiedade humana com supostas viagens para o futuro. Valorizam as informações privilegiada...

Ele Já Está No Teu Amanhã


Os filmes de ficção científica exploram a ansiedade humana com supostas viagens para o futuro. Valorizam as informações privilegiadas sobre o “amanhã”. Mas Deus é o criador da existência. Na qualidade de atemporal, somente Deus conhece o teu futuro e faz promessas condicionadas às tuas escolhas. Esta é a razão de tamanha confiança e intrepidez do salmista Davi quando diz: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. (Sl 23.4)

Todos os “amanhãs” passam por Deus antes de chegar até nós. Não se perturbe! Deus está no teu amanhã! 

Por que a ansiedade tem causado tantos males em nossa geração?

Certamente é porque temos duvidado de Deus.

O Salmo 23 é sem dúvida um dos mais conhecidos textos das Escrituras, mesmo daqueles que não servem a Deus. Alguns fazem até questão de usá-lo como amuleto. Deixam as páginas da Bíblia amarelando neste número, como se fosse uma iconografia idólatra. Entretanto seu poder não reside no Livro aberto ou fechado. Só existe uma forma de exaurir a virtude deste salmo. Conhecendo intimamente o Supremo Pastor nele descrito.

Este Salmo pode perfeitamente receber a alcunha de “Salmo da Fé”. A ovelha confia no pastor quanto às necessidades do dia seguinte. Tem uma certeza das coisas que não se veem ainda, o amanhã. Fé não depende de sentimentos e sim de uma decisão. Eu leio sua Palavra e creio que ela é a verdade. Eu escolho confiar em Deus.

Note o versículo três quando diz: “Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome”. Ora, ele fez uma promessa a você. E está ligado a esta promessa “por amor do seu nome”. Quantas pessoas encontram paz nestas palavras? Quanta dor, angústia e privação foram dissipadas ao eco desta profecia em forma de cântico? Tudo porque o Nome deste Pastor é confiável. Se uma só vez ele tivesse falhado, eu não teria condição de descansar em seus pastos verdejantes. Mas nunca falhou. O seu nome é confiável. Dá paz ao mais angustiado dos homens. Quando ele zela pelo seu nome, zela por todos que escolheram ser fiel à sua Palavra, confiam no seu nome e renunciam o pecado e Satanás.

Podemos descansar hoje. Viver um dia de cada vez. Confiar no amanhã. Porque ele vela por sua Palavra para cumpri-la. Quando Deus fala, empenha a honra de sua própria glória. Escolha agora mesmo, por Jesus Cristo, desenvolver um relacionamento íntimo com o Pai. Ele é o Pastor que já está no teu amanhã.


A primeira característica de uma seita é se proclamar a “única e verdadeira representante de Deus na terra”. Desta sorte, ou má sorte, m...

O Obreiro Do Tipo “Representante Exclusivo”



A primeira característica de uma seita é se proclamar a “única e verdadeira representante de Deus na terra”. Desta sorte, ou má sorte, muitos obreiros estão a um passo de se tornarem movimentos contraditórios ou até mesmo sectários. Até parecem o pássaro Quero-Quero. - Eu sempre levava meu filho na beira do Rio Paranapanema para brincar com aquelas valentes aves. Brincadeira para nós, porque para eles era coisa séria. Apesar dos seus voos rasantes arrancarem gargalhadas do Davi, eu sabia – eles não aceitavam a gente no seu território. Debaixo de suas asas tem uma espécie de ferrão que usavam para nos intimidar. Tem muito obreiro territorialista se achando o “representante exclusivo” de Jesus em sua comunidade.


“O obreiro do tipo “representante exclusivo” vive como se não houvesse mais trabalho a ser feito. – Mas o Espírito Santo não loteia almas”!

Porque o “representante exclusivo” acha que não há mais trabalho a ser feito?

A tese deste tipo de obreiro é que todos do seu bairro ou cidade já ouviram a Palavra. E já que este tipo de obreiro se sente o delegado de Jesus no pedaço, não respeita outros obreiros que queiram fazer a obra na sua área. 

É um engano achar que não há mais almas a serem resgatadas pelo poder do Evangelho. Mas o “representante exclusivo” não pode dar conta do recado sozinho, não faz direito e não quer deixar ninguém fazer.

Em II Tm 4.1,2 Paulo brada para Timóteo: “-Eu te encorajo solenemente, na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, por ocasião da sua manifestação pessoal e mediante seu Reino: Prega a Palavra, insiste a tempo e fora de tempo, aconselha, repreende e encoraja com toda paciência e sã doutrina”. E nos versículos 15 e 16: “Dedica-te plenamente ao cumprimento dessas responsabilidades, para que todos possam testemunhar o teu progresso”. O obreiro precisa ter visão de Reino. Entender que o Espírito não loteia regiões geográficas, não nomeia exclusivos representantes e não deixa de trabalhar só porque um determinado grupo acha que já evangelizou toda uma região e diz que não há mais trabalho a ser feito.

Que nunca nos achemos perseguindo a obra de Deus, mesmo que este obreiro não pertença à minha “panelinha eclesiástica”. E que nunca sejamos peças ornamentais em nossa sociedade, mas que possamos orar as palavras do salmista em Sl 40.9 : “-Às multidões anunciei os teus atos de justiça, pois meus lábios não se puderam conter, como tu mesmo sabes, ó Eterno”.

V ocê sabia que através de sua vida a multiforme sabedoria de Deus é conhecida dos principados e potestades nos céus? Todo ser inteli...

Prosperando Na Crise


Você sabia que através de sua vida a multiforme sabedoria de Deus é conhecida dos principados e potestades nos céus? Todo ser inteligente no universo aprende quando você atravessa os vendavais louvando a Deus. (Ef 3.10)
Quando os vendavais combatem os cedros, suas raízes se fixam no chão ainda mais. A oposição do inimigo nos treina para sua própria derrota. 
Como posso encontrar maior profundidade em meio a estes vendavais que querem me vergar ao chão?
Temos um claro exemplo de como isto acontece no Salmo 55.
Neste salmo Davi já começa reclamando da oposição de seus inimigos. Ele fala de suas provações, de como está cercado pelos inimigos e das injustiças que está sofrendo. Seus inimigos o ameaçam e o fazem sentir medo, já que estão literalmente o caçando. (55.2-8). Agora a cidade está cheia de perversidade (55.10-11), assassinato, roubo, ameaça e trapaças estão em toda a parte. Tudo o que Davi queria era justiça, mas ao contrário disto foi traído até por seu amigo íntimo. Um dos mais chegados amigos de Davi tramou contra ele em segredo. (55.12-14, 20-21) E eu posso dizer: -“Nada nos dói mais que uma ferida feita por um amigo”.

“O meu coração está dolorido dentro de mim, e terrores da morte caíram sobre mim.
Temor e tremor vieram sobre mim; e o horror me cobriu. 
Pelo que disse: Oh! quem me dera asas como de pomba! porque então voaria, e estaria em descanso.
Eis que fugiria para longe, e pernoitaria no deserto.
Apressar-me-ia a escapar da fúria do vento e da tempestade.(4-8)

Até um homem de Deus como Davi, tem momentos em que deseja fugir de tudo e escapar dos problemas e pressões da vida. Escapar da fúria do vento e da tempestade. Mas ele tinha que aprender prosperar no meio da crise. E quando os vendavais sopram impetuosamente contra sua vida, suas raízes se aprofundam no versículo dezesseis: 

“Porém eu invocarei a Deus, e o Senhor me salvará.
De tarde  e de manhã e ao meio dia orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz.
 Livrou em paz a minha alma da peleja que havia contra mim; pois havia muitos comigo”.

Se durante este vendaval você aprender orar “de tarde  e de manhã e ao meio dia”, como Davi aprendeu buscar a Deus, é sinal de que suas raízes já estão se aprofundando. Se você está aprendendo o segredo do louvor incondicional a Deus, daí onde está no olho deste furacão, a face do diabo já está ficando ruborizada. Pois ele pensou que ia te arrancar do seu lugar. Que ia cirandar com você no deserto. Mas este vento o ensinou buscar a Deus mais profundamente, suas raízes acharam os veios d’agua, e a oposição do inimigo apenas treinou você para derrota dele.

Olha a lição que Davi agora pode ensinar ao final deste salmo no v 22: 

“Lança o teu cuidado sobre o SENHOR, e ele te susterá; não permitirá jamais que o justo seja abalado”.


Q uando estamos fora da direção de Deus, nossa tendência é ficar em Mísia mesmo, e dizer: -“Não dá nada não”. Hoje vamos aprender com...

Espere A Direção Em Trôade


Quando estamos fora da direção de Deus, nossa tendência é ficar em Mísia mesmo, e dizer: -“Não dá nada não”. Hoje vamos aprender com Atos 16 o valor da direção de Deus.
Quando as portas se fecham por todos os lados, sempre haverá uma estrada para Trôade. Em Trôade nos espera Lucas e Deus te dá uma visão. Atos 16.6
O que significa esta passagem para minha vida?
Por vezes somos assaltados pelo sentimento chamado precipitação. Sempre ocorre em momentos de grande estresse ou euforia. No caso de Paulo, percebemos sua inflexibilidade quando Barnabé queria dar outra oportunidade ao jovem João Marcos, Paulo não. Houve tamanha contenda que os fizeram tomar caminhos diferentes. Primeiramente Paulo sai visitando algumas igrejas e entregando as cartas de Jerusalém como combinado em convenção. Entretanto, quando o trabalho termina, Paulo me parece de cabeça quente e fora da direção de Deus. 
Paulo tinha um projeto no coração. Era um projeto legítimo de implantar igrejas na Ásia Menor, entretanto até os projetos legítimos necessitam ser feitos debaixo da direção de Deus. Em Antioquia da Pisídia, Paulo deve ter contemplado a grande estrada imperial que ia para o oeste, para a província romana da “Ásia”. Era uma região com muitas cidades. Paulo entende ser “de Deus” tomar a estrada para oeste, para dentro da “Ásia”. Mas sem rodeios, Lucas informa que Paulo e Silas foram “impedidos pelo Espírito de Deus de pregar a palavra na Ásia”. 
E agora? O que fazer? Voltam-se para nordeste, e “percorrem a Frígia e a região gálata”. 

“Sim, Jesus de fato é “Senhor”, a ponto de nos fazer esperar, também quando achamos que temos de saber urgentemente o que deve acontecer em seguida”. (Comentário Esperança)

A expressão “percorrer” em Atos significa que empreenderam a atividade evangelística naquele lugar, entretanto não lemos uma só palavra sobre o fruto desse trabalho, nem uma alma sequer.
Daí resolveram virar para o lado da província da “Mísia” e mais uma vez foram impedidos de ir nessa direção. Voltam-se à direção nordeste de novo e tentam ir para Bitínia”. “Ah! Agora vai!” Esta é a região costeira do Mar Negro, tem cidades boas como Nicéia, Nicomédia, Calcedônia, Bizâncio...” -“Mas o Espírito de Jesus não o permitiu”. E agora? Que direção tomar? Sim, até Paulo, o grande apóstolo da igreja, como homem que era, de cabeça quente, havia tomado uma decisão errada lá atrás, agora sofria a consequência. Rodando como barata tonta, parecia tão difícil reencontrar-se com o centro da vontade de Deus.

As portas estavam fechadas de um e outro lado, mas tinha uma estrada aberta para seguir. Essa estrada atravessava a província da Mísia, o final dela era a cidade de Trôade – a antiga Tróia – diante do mar e no fim de qualquer caminho viável. Quantas vezes às portas estão fechadas e nos sentimos desanimados e nem queremos prosseguir, porque achamos que será o fim. E não estamos enganados, será o fim mesmo. Mas é o fim do nosso “achismo” e o começo da nossa dependência de Deus. A estrada para Trôade era a estrada para o fim. Não temas, leitor, ainda que todos estejam dizendo que agora será o teu fim. Você não pode desistir aí, antes de Mísia. Tome a estrada para Trôade. Deus inúmeras vezes já levou seus filhos ao “fim”, ao ponto que qualquer possibilidade pessoal estava vedada e restava unicamente uma surpreendente solução da parte do próprio Deus. É ali que Deus nos faz entender o valor da sua direção.

Interessante notar como a narração pela primeira vez em Atos passa a ser na primeira pessoa do plural: -“nós”- (At 16.10-17; 20.5; 21.18; 27.1-28.15). É um recurso literário e estilístico de poder impactante. O escritor Lucas usa para dizer que agora ele faz parte da comitiva. Sim, em Trôade nos espera Lucas. O que parece o nosso fim, para Deus é apenas o começo, por isto ele já preparou um “Lucas” para te ajudar quando você chegar em Trôade. Como diz meu pastor presidente, Reginaldo Ribeiro: “Há pessoas que outras pessoas nos apresentam, mas têm pessoas que o próprio Deus nos apresenta”.

Uma vez em Trôade, a preciosa direção de Deus é revelada. Sim, é em Trôade que Deus nos dá uma visão. “À noite, sobreveio a Paulo uma visão na qual um varão macedônio estava em pé e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos!”

Glória a Deus!

Por vezes somos levados à uma situação extrema. Até parece insuportável. Mas quando chegamos à direção de Deus, percebemos que valeu a pena. E que vale a pena não sair mais dela.

Na terceira viajem missionária, agora na direção de Deus, Paulo volta ao continente, mas à capital Éfeso, e em dois anos toda a Ásia ouviu falar do nome Jesus, e muitas igrejas foram abertas. Na direção de Deus, nossos projetos ganham vida.

Mais tarde Paulo escreve pedindo João Marcos, dizendo que ele era muito útil no ministério. Como é diferente um homem de Deus na direção de Deus.


E ssa flor de nossa foto, açoitada pela chuva, poderia imaginar o bem que está recebendo? Se eu puder louvar a Deus em meio aos açoites d...

O Valor Das Chuvas


Essa flor de nossa foto, açoitada pela chuva, poderia imaginar o bem que está recebendo? Se eu puder louvar a Deus em meio aos açoites da vida, também vou colher alegremente seus benefícios.
Tem gente que só quer sol. Não sabe o valor da chuva. Se quisermos dar frutos precisamos tanto da chuva como do sol.
Como é uma pessoa que só quer sol?
É a pessoa que ainda não entendeu o evangelho. Ou que vive ludibriada por outro evangelho, o evangelho do oba-oba, do receba-receba, do espetaculoso.
Fomos chamados para dar frutos. Apesar disto alguns cristãos estão preocupados apenas em consumir bênçãos e revelações. - O que importa para ele é a dor da sua barriga, já que “o seu deus é o seu ventre”. (Fp 3.19)
Entretanto, se um crente entende o dever de frutificar, também entende que vida cristã não se constitui de dias ensolarados apenas, mas haverá chuvas. 

Essas chuvas, por vezes acompanhadas de ventos, mechem com nossa estrutura, mas no fim estaremos mais fortes. Esses aguaceiros costumam açoitar as folhagens e parece que nada de bom podemos esperar em meio ao tempo fechado em nossa vida. Mas, ao contrário disto, a revelação bíblica mostra um Deus que não nos poupa da chuva, mas caminha conosco em nossa prova. (Is 43.1-3; Rm 8.28; Gn 50.20, SI 23.4) E no final mostra-nos o grande valor da chuva para uma vida frutífera: “E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho”. (Fp 1.12).

Ainda que as circunstâncias pareçam irreversíveis do meio da tromba d’água, a razão do nosso louvor continua sendo Deus: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação. (Hc 3.17,18) 
Então podemos nos alegrar até nas tribulações (Rm 5.3-5; Tg 1.2).

O Apóstolo Pedro mostra que os ímpios não entendem como alguém se alegra no meio da prova (I Pe 4.4-6). Como que Jó, mesmo depois de perder tudo, prostrado na cin¬za, ainda glorifica a Deus? “ ...o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!” (Jó 1.21). Como Paulo e Silas, depois de açoitados em praça pública e jogados no cárcere, cantam na prisão à meia-noite? E foi isto que marcou os pri¬sioneiros e trouxe salvação ao carcereiro e à sua família (At 16.25-34). Como o diácono Estêvão, mesmo sendo acusa¬do injustamente, tem um brilho no rosto como se fosse um anjo; mesmo apedrejado, intercede por seus inimigos (At 6.15-7.53). Jesus, mesmo pregado na cruz, tem pala¬vras de amor nos lábios (Lc 23.34).

Ao final de tudo àqueles que não entendem o valor da chuva - que só querem sol - murcharão como uma verdura sem água no sol causticante (Sl 37. 2). Mas aqueles que aceitam as chuvas do Senhor, ainda que pareçam momentaneamente desconfortáveis, vão reverdecer e frutificar para glória de Deus.

“Ele é o que cobre o céu de nuvens, o que prepara a chuva para a terra, e o que faz produzir erva sobre os montes.” (Sl 147.8).

C omo entender uma pessoa que faz sempre as mesmas coisas, e quer resultados diferentes? Em plena crise Acaz resolveu repetir o pecado ...

Semeando Em Terra Fértil


Como entender uma pessoa que faz sempre as mesmas coisas, e quer resultados diferentes? Em plena crise Acaz resolveu repetir o pecado de Adão e Eva. Tomou do fruto da árvore que Deus pediu fosse consagrada.

Israel estava humilhado e em terrível aperto. (2 Cr 28.19-21) Mas no meio daquela miséria, tinham a oportunidade de prosperar em tempo de crise. A Promessa do Deus de Israel nunca deixou de estar de pé. Entretanto no v.21 Acaz toma o que era para a casa do Senhor e usa para cobrir suas despesas, achando que isto ia resolver seu problema. Daí Esdras explica didaticamente assim: “Porém isso não o ajudou”. Falo com você que achou que sonegando o dízimo do Senhor, amortizaria os problemas com o recurso extra, “porém isso não o ajudou”. O v.20 explica que isso o “pôs em apertos em vez de fortalecê-lo”. O v. 22 diz que: “No tempo da sua angústia, cometeu ainda maiores transgressões contra o Senhor”. A crise continuou até a morte do rei tolo. 

O novo rei, Ezequias, assumiu uma terra miserável, aterrorizada e espantada (29.8). Mas Ezequias disse: “Agora, estou resolvido a fazer aliança com o SENHOR, Deus de Israel...” (v.10). Ele mandou os correios anunciar de cidade em cidade: “Filhos de Israel, voltai-vos ao SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel...” (2 Cr 30.6) “Porém riram-se e zombaram dele” (v. 10) “Todavia alguns de Aser, de Manassés, e de Zebulom se humilharam e foram a Jerusalém. Também em Judá se fez sentir a mão de Deus, dando-lhes um só coração”. (vv 11 e 12) E o povo voltou a trazer seus dízimos e ofertas com fidelidade e liberalidade (31.4-12). Quatro meses depois havia sobra em abundância no meio do povo, e a história de Israel foi transformada (vv. 7 e 10).

Dê a Deus tudo o que ele pede em sua Palavra e receba de Deus tudo o que ele promete em sua Palavra.

Será a obediência capaz de mudar a minha história no meio desta crise?

Sim, não há nada que possa impedir a semente da liberalidade frutificar. Isto é, se estiver protegida com o defensivo da fidelidade.

Do terceiro mês ao sétimo mês na Palestina é uma época sem chuvas, o que fazia mais urgente a necessidade de armazenar mantimentos. Eles, no entanto, estavam falidos e só começaram um propósito de fidelidade justamente na véspera da seca. Até para quem se preparava para este período, era natural chegar ao fim da seca com os depósitos esvaziados. Entretanto eles começam na prova e terminam na bênção. Até Azarias estava contando o testemunho: “Desde que se começou a trazer à Casa do SENHOR estas ofertas, temos comido e nos temos fartado delas, e ainda há sobra em abundância; porque o SENHOR abençoou ao seu povo, e esta grande quantidade é o que sobra”. (2 Cr 31.10) Ezequias e todo o povo se alegraram por causa daquilo que Deus fizera para o povo, porque, subitamente, se fez esta obra.

No v.7 o texto diz que começaram a obedecer a palavra de Deus no terceiro mês hebraico (maio/junho), a ocasião da Festa de Pentecostes e da colheita dos cereais (Êx 23.16a) Tipificação do avivamento verdadeiro. O pentecostes de verdade sempre leva o povo à fidelidade. Do contrário é fogo de palha. E no sétimo mês acabaram (setembro/outubro), a ocasião da Festa dos Tabernáculos e da colheita dos frutos e uvas (Ex. 23. 16b) Tipificação da presença de Deus, o Verbo que se fez carne e habitou - do grego (σκηνοω) skenoo: “tabernaculou” entre nós, e vimos a sua glória. (Jo 1.14) Quem é fiel na crise, no final vê a Glória de Deus tabernaculando no lugar onde ninguém achava que Deus estaria. Ah! Para de graça meu irmão! Abra sua boca agora e dê um brado de Glória a Deus! Ele está segredando ao seu coração: “Fazei prova de mim”. (Ml 3.10)

I magine um peixinho com medo de gastar toda a água dos oceanos. Agora imagine Deus dizendo: -“Pode beber peixinho, minhas águas te bas...

Deus Sempre Tem Mais


Imagine um peixinho com medo de gastar toda a água dos oceanos. Agora imagine Deus dizendo: -“Pode beber peixinho, minhas águas te bastam”.
Às vezes pedimos a Deus uma caneca e esquecemos que ele tem os oceanos.
E o que significa dizer que Deus tem os oceanos?
À luz de Rm 8.32 significa muita coisa. Ou melhor, “todas as coisas”.
“Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?”

Dizer que o top 10 da Forbes tem muita riqueza não significa nada para você, nenhum deles te prometeu coisa alguma. Mas pensar nos inesgotáveis recursos de Deus tem tudo a ver com você. Ele prometeu dar todas as coisas, e como prova do que está disposto a fazer por você, entregou seu próprio Filho. O argumento é do maior para o menor. Se Deus já entregou o maior, como negará o menor? Você pode crer? 

Na obra alemã Comentário Esperança diz assim: 
“O único que realmente leva o pecado a sério, Deus, causa a transferência da culpa dos culpados ao inocente. Os seres humanos criados por ele lhe são mais caros que aquele a quem tinha de mais caro”.

Vemos nesta palavra as profundezas do coração de Deus revelado. “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus”. (1Co 2.10)
Ele nos deu um presente inexplicável, e todas as coisas são apenas coisas acessórias diante do que ele já nos deu – seu próprio filho. 
Faz-nos lembrar de Fp 1.6: “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo”. Se quando éramos pecadores, ele nos deu o maior presente, pelo nosso resgate, imagine agora que você foi feito Filho de Deus. (Jo 1.13) Com certeza ele vai cumprir o que disse. “Nos dará todas as coisas”. 

Jesus a si mesmo se entregou na cruz, movido por seu amor inexplicável. E promete suprir todas as nossas necessidades até chegarmos à Canaã Celestial, onde sua obra em nossa vida estará completa. Não peça uma caneca para Deus, se o preço que ele pagou na cruz vale pelos “oceanos” e por "todas as coisas". Este anseio na sua alma de servir a Deus, de ser mais fiel, de viver os sonhos de Deus para sua vida na terra e se achar justificado por ele para sua eternidade, não duvide. Corra para ele. Se esconda na promessa dele. Não duvide mais dos planos dele para sua vida. Se refugie nele. Seja ele torre forte, o teu porto seguro, a tua fortaleza. Confesse a ele agora mesmo o teu pecado, seja lavado no sangue dele, seja justificado por ele. Nada pode nos separar do amor de Cristo.

Aqui na terra os presentes “duram até acabar” mas o que ele promete não se limita ao vil metal. Neste dar “todas as coisas” está incluído que somos “herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo”. (Rm 8.17) Não é possível que tua alma não estremeça diante de tamanha promessa! Ele promete, pelas eras intermináveis da eternidade nos fazer junto com ele senhores sobre o universo. É assim que se cumpre plenamente o sentido da palavra “todas as coisas”. Voltaremos a ter o “domínio sobre” de Gn 1.26. Não permita que a cortina de fumaça do presente século te faça esquecer das implicações eternas de Deus para tua vida. Ele te ama profundamente.

T em gente que tem fé na própria fé. Isto é inútil. Outros dão ênfase aos sentimentos. Mas fé não se sente. Fé é uma escolha e não um s...

Olhando O Invisível


Tem gente que tem fé na própria fé. Isto é inútil. Outros dão ênfase aos sentimentos. Mas fé não se sente. Fé é uma escolha e não um sentimento. Fé é olhar para o invisível, e ter certeza que Deus está trabalhando neste expediente.

 Abraão no caminho de Moriá; Jó na tempestade; Moisés no deserto do Sinai; Jesus no Getsêmani: - Todos olhavam por de trás da cena visível das coisas: A Fé.

E como a Bíblia explica a fé?

Em toda Escritura só tem um versículo com a definição da palavra fé: Hb 11. 1: “ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem”.
Se bem que acham que o autor poderia ter falado mais deste pensamento intelectual e teórico do que é a fé. Entretanto, é só isto que temos em toda a Bíblia. E penso que esta ausência de explicação tem um propósito: - Fé não se explica, mas se vive. A Fé não é teórica. No lugar de fazer uma descrição detalhada dos termos, o escritor aos Hebreus prefere recorrer às histórias de homens e mulheres que venceram pela fé. O filósofo dinamarquês Sören Kierkegaard afirmou que: “Ainda que fôssemos capazes de colocar todo o conteúdo da fé em forma de conceito, não decorre disto que já tivéssemos compreendido a fé, compreendido como entramos nela ou como ela entra em nós”. Se quisermos compreender a fé precisamos aprender com as histórias reais, das pessoas que escolheram olhar por de trás da cena visível das coisas, ou seja, olharam para o invisível.

É isto que Paulo nos diz em 2 Co 5.7: (Porque andamos por fé, e não por vista). Se a fé não é baseada nas coisas visíveis, logo sua fonte é o invisível. Portanto, através dos testemunhos da galeria da fé de Hebreus 11, o escritor tem dois propósitos: 1 - está nos levando a acreditar no caráter de Deus, ou seja, que ele é quem diz ser. E 2 - está nos levando acreditar nas promessas de Deus, que ele vai fazer o que disse que ia fazer. Se eu acredito nisto, mesmo antes de ver, já estou adorando a Deus, ainda que combatido pelas evidências visíveis.

O verbo “andamos” em grego é “peripateo”. É um verbo comumente usado para descrever o todo da vida cristã (Rm 6.4; 13.13). Não existe vida cristã genuína sem fé. E esta fé nos faz não só confiar no futuro, mas ser corajoso no presente. Que possamos aprender com os erros e acertos dos heróis da fé.

Eu quero viver uma vida de fé, mas não sei onde adquirir este produto? O fornecedor da fé tem um expediente: A Palavra. “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. (Rm 10.17).

O esperar da Bíblia é diferente do esperar da fila do banco ou da padaria. O esperar no sentido popular é estar parado. O esperar no se...

Esperar A Esperança


O esperar da Bíblia é diferente do esperar da fila do banco ou da padaria. O esperar no sentido popular é estar parado. O esperar no sentido bíblico é estar em comunhão ativa com o céu, orando, consagrando e louvando. Não que este seja um preço para o objeto esperado. O preço já foi pago por Cristo. Se eu estiver em comunhão ativa com o céu – ligação direta com o trono da graça – é porque creio na promessa avalizada por Ele. Se me aproximo de Deus, também devo crer que ele existe, e que é presenteador dos que o buscam. (Hb 11.6)
Mas há momentos tão escuros na vida, que a Bíblia manda esperar pela esperança. (Gl 5.5)
E o que é esperar pela esperança?
Esperar pela esperança é olhar para frente e esperar as promessas de Cristo em todos os aspectos da vida e da eternidade. 

Paulo diz: “Porque nós, pelo Espírito, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé” (Gl 5.5). 

Ora, se não podemos ver algo e mesmo assim esperamos, não poderia isto ter outro nome, senão a “justiça que provém da fé”. Não depende de mim mesmo, das minhas habilidades ou merecimentos. Não depende do meu trabalho, já que estou esperando uma esperança que foi oferecida pela fé. Não trata-se do que eu vou fazer para Deus, mas é o que Deus fez por nós em Cristo Jesus. E já está feito. Ainda que no presente eu atravesse uma escura noite de incertezas e temores, estou aguardando uma promessa tão clara como o sol ao meio dia. 

“O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer”. (Sl 30.5) 

Até pode parecer que Paulo em sua carta, Davi em sua canção ou eu em meu artigo estamos evadindo para o futuro. Muito pelo contrário. A esperança afiançada por Cristo não é uma miragem do futuro, mas uma realidade futura. A promessa de Deus é tão real que, mesmo em meio às densas lutas, conseguimos adorar a Deus, por ter assegurada a vitória. É uma tomada de posição no presente. 

Uma pessoa na esfera natural primeiro vai querer saber o preço, se pode bancá-lo ou não. Mas aquele que espera pela fé sabe que o preço já foi pago (na cruz do calvário).
Se nestes momentos de lutas, estas noites escuras da vida, pudermos viver e celebrar cada momento, crendo e aguardando pela esperança, vamos ser contemplados com o brilho das estrelas. De fato a beleza das estrelas só é vista quando a noite chega! Sim estas estrelas brilham sobre todos, mas nem todos conseguem parar e se deleitar com o seu brilho, a sua constância, a sua mensagem. Transforme este momento de crise em momento de superação, esperando pela Esperança. 

Se o mundo diz que a esperança é a última que morre, a nossa já morreu... e ressuscitou, e vive para todo sempre. Ainda que cesse o brilho das estrelas, mais as promessas do Senhor Jesus vão brilhar. Bom dia a todos!

Minha oração não é capaz de convencer Deus, tampouco jejuns ou votos. Sabe por que não posso convencer Deus a me abençoar? É por que El...

Ainda Existem Janelas no Céu


Minha oração não é capaz de convencer Deus, tampouco jejuns ou votos. Sabe por que não posso convencer Deus a me abençoar? É por que Ele já está convencido a me abençoar. Suas promessas já foram liberadas e são plenamente vigentes. Então porque orar, jejuar e fazer votos? Para mudar a mim mesmo. Para me colocar no ponto da fé. Quanto a Deus, ele já está disposto a me dar sua bênção. Basta cumprir os passos de uma fé viva. 

Ainda existem janelas no céu. Suas dobradiças não enferrujaram. Dê uma oportunidade para Deus te abençoar. “... Provai-me nisto...”. Ml 3.10

Sabe por que ainda existem janelas no céu?

É por que Deus não muda. Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos (Ml 3.6).
Quando alguém não é fiel com Deus, está sendo infiel consigo mesmo, pois será o primeiro prejudicado pela sua infidelidade. Tudo pertence a Deus, até a energia de que preciso para trabalhar. “Se nós quisermos ter os tesouros de Deus abertos, devemos abrir os nossos próprios tesouros”. (Thomas V. Moore). Quando eu abro meu coração para Deus, minhas mãos também estarão abertas. Logo estarão abertas sobre nós as janelas dos céus.

Há uma linguagem inspiradora neste texto. É o próprio Deus que está mostrando as janelas abertas no céu. Isto é, o dono do céu e da terra diz: “-Eu quero mais do céu na terra”. Então ele simplesmente diz que o céu tem janelas. E que estas janelas estão abertas e que por elas fluirão as bênçãos do céu. Em Gn 7.11 fala de janelas do céu por onde fluíram chuvas no dilúvio. Ora, para que serve estas janelas senão para que a chuva da bênção de Deus me molhe por completo? Eu não quero 100% na secura. Prefiro 90% completamente encharcado das chuvas que fluem por estas janelas. Que janelas abençoadoras que o próprio Deus nos abriu? Como pode alguém desconfiar do Criador se ele mesmo promete manter as janelas do seu céu aberta sobre nós?

Desta copiosa janela o texto garante fluir as bênçãos sem medida de Deus. No versículo 12 o devorador é reprendido e é garantida uma vida feliz: “Todas as nações vos chamarão felizes, porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos”. Aqui preciso citar as palavras do Dr. Hernandes Dias Lopes: “-Há grande alegria na obediência a Deus. Quando a igreja é fiel, a casa de Deus é suprida, a obra de Deus cresce, o testemunho da igreja resplandece, os povos conhecem ao Senhor e a glória de Deus resplandece entre as nações. Ser cooperador com Deus é fazer um investimento para a eternidade (1Co 3.9). Muitos estão investindo em projetos que não terão nenhuma conseqüência eterna. Onde você está ajuntando tesouros? Onde está colocando suas riquezas? Onde você tem o seu coração? O dinheiro do Senhor que está em suas mãos tem sido devolvido para o sustento da obra de Deus”?

Quando o próprio Deus diz: “... Provai-me nisto...”. (Ml 3.10) está mostrando qual é o seu prazer: A expectativa gerada pela fé. Alguém diz: “-Não pode contribuir esperando receber algo de volta”. Ora senhores, roubaremos também isto de Deus, o seu prazer em ser provado por nós em nossa expectativa de fé? É o próprio Deus que quer ver esta fé viva ardendo em meu raciocínio lógico. Quando falta esta esperança no crente, a Bíblia manda esperar por ela. Já viu isso? Esperar a esperança? Está em Gl 5.5. Fé é a certeza das coisas que não vemos. (Hb11.1) A janela está escancarada. Dê uma oportunidade para Deus te abençoar!

A fé vem pelo ouvir, então vamos ler de novo?

Malaquias 3.10
“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes”.
Conheça meus livros - CLIQUE AQUI

Conheça meus livros