A restrição de obras literárias em grande parte das universidades brasileiras não deixam dúvidas - são verdadeiras granjas de produzi...

O ateísmo nas universidades brasileiras



A restrição de obras literárias em grande parte das universidades brasileiras não deixam dúvidas - são verdadeiras granjas de produzir alienados. Entre os temas alvos de preconceito está a nossa liberdade de consciência cristã. Crer em um criador do universo e na teoria do designer inteligente é motivo de chacota e preconceito em grande parte dos centros acadêmicos brasileiros. E que ninguém ouse questionar suas teorias enlatadas e vencidas. Intituladas de científicas, trombam na contramão da racionalidade.

Alguém disse que acreditar em tudo é fácil, e duvidar de tudo também, pois ambas as alternativas dispensam o trabalho de pensar, estudar e analisar. Dados estes fatos entendemos qual é o grande mal do preconceito – um conceito assumido antes do estudo dos fatos.

Albert Einstein, o mais ovacionado cientista de todos os tempos, acertou ao dizer que estudos científicos nos níveis medianos levam as pessoas a duvidarem da existência de um Deus Criador. E acertou de novo o pesquisador ao dizer que estudos científicos em níveis aprofundados não deixam alternativas – existe um Criador.

Nas universidades brasileiras esta realidade é gritante: – Pessoas amontoam diplomas, se estribam em teorias enlatadas, e nunca sairão do nível mediano, o nível da média, o nível dos medíocres – são forjados em universidades esquerdizantes, aparelhadas pelo comunismo – verdadeiras granjas de produzir pseudo-intelectuais. Contudo estão por aí – Esbravejando impropérios a tudo que diz respeito ao Criador. Ridicularizam a tudo que lhes parecem fé. Ridículos, no entanto, são eles. Ridículos, medíocres e preconceituosos.

Negando a existência de um criador pessoal, assimilam uma fé fora do comum na ocasionalidade. Se de fato o universo fosse produto de uma evolução cósmica, teríamos que explicar a origem deste elemento cósmico que originou as supostas “eras evolutivas”. Daí nunca poder dizer que o tal elemento primário surgiu do nada – pois nada vem do nada. Entretanto, um retrocesso infinito de causa também é uma eternidade e está completamente fora de lógica. Logo precisamos de mais fé para crer na evolução do que para aceitarmos as evidências de um Deus eterno. De fato os elementos de nosso universo vieram a existir pela vontade daquele que já era antes de toda existência, e que independe de começo meio e fim, pois ele é o dono da própria existência. Ele é a própria existência.

Diz a máxima, porém: – “Mudar de opinião é próprio dos sábios.” E sempre vale a pena manter a mente aberta para ouvir e analisar o outro lado. Porque não o fazem então? Porque preferem agredir o argumentador em vez de responder o argumento? Faltam professores com capacidade analítica em grande parte das universidades brasileiras – e suas crias “alunos” reverberam o mantra do tal “progressismo”.

Continue lendo em: 7 RESPOSTAS SOBRE A EXISTÊNCIA DE DEUS

“Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia.” (Salmos 34:8)

O mundo vai ouvir uma notícia bombástica a qualquer momento. Não sabemos o dia e nem a hora - pode ser agora ou em breve - mas os sin...

ARREBATAMENTO: O que a Bíblia diz sobre o acontecimento que vai abalar o noticiário mundial?



O mundo vai ouvir uma notícia bombástica a qualquer momento. Não sabemos o dia e nem a hora - pode ser agora ou em breve - mas os sinais proféticos já se cumpriram. Estou falando do arrebatamento da igreja - que aguardamos ansiosamente - a bendita esperança da Igreja. Estamos aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo”. (Tt 2.13). Mas aqueles que forem arrebatados vivos, e não passarem pela experiência da morte, não vão preceder os que morreram no Senhor. (1Ts 4.14-18). Primeiro, diz a Bíblia, aqueles que morreram em Cristo vão ressuscitar. Todos os que estão no Paraíso, desde o Antigo Testamento até a última pessoa que morrer em Cristo, todos vão descer aos seus sepulcros. Seus corpos que jazem desfazendo-se, mesmo que haja apenas pó, vão ser reintegrados sobrenaturalmente. Só então comporão as fileiras gloriosas do arrebatamento. Este mistério é comentado em 1Co 15.54: “-E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então, cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória”. O corpo é importante para Deus. Daremos conta a Deus de tudo aquilo que fizermos “por meio do corpo, ou bem ou mal”.(2Co 5.10). O nosso corpo também aguarda a vinda do Senhor “... espírito, alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. (1Ts 5.23). (Grifo nosso). 
Igualmente, aqueles que estiverem vivos no grande Dia do arrebatamento da Igreja, terão seus corpos glorificados. (1Co 15.51-53). O mundo não pode entender isto, porque ainda não foi manifesto. Estes corpos mortais, frágeis, corruptíveis serão revestidos de incorruptibilidade. Seremos semelhantes a Jesus. João explica isto: “- Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”. (1Jo 3.2).
Será um acontecimento muito rápido. Mais do que podemos calcular. 1Co 15.52 diz que será: “-num momento, num abrir e fechar de olhos”. Dizem que a duração de um piscar de olhos é de cerca de um milionésimo de segundo. A palavra “momento” neste versículo foi traduzida do original grego ατομος-“atomos”, que segundo o Léxico Grego de Strong significa:que não pode ser cortado em dois, ou dividido, indivisível”. É uma medida de tempo tão rápida que não pode ser humanamente dividida. Será numa fração de segundos, e não estaremos mais aqui. Sem aviso algum o sal (Igreja) será retirado deste mundo. Estaremos na imediata presença do Senhor Jesus Cristo.
Conheça os livros do Pr. Adriano Alves - CLIQUE AQUI

As eleições estão chegando e mais uma vez o povo de Deus se une para dizer: - "Não vote em político abortista ou isentão!" ...

ELEIÇÕES. Só defende o aborto quem já nasceu.



As eleições estão chegando e mais uma vez o povo de Deus se une para dizer: - "Não vote em político abortista ou isentão!" Logo se ouve a réplica daqueles que se autodenominam "progressistas" - dizendo que estamos misturando Religião e Política e que o estado é laico e blá-blá-blá.
Em primeiro lugar, um estado laico não é um estado laicista - que proibe a fé. Pelo contrário, estado laico é aquele que protege todas as formas de fé e religião dos seus cidadãos. Nossa  sociedade tem princípios morais baseados na cultura judaico-cristã. E nenhum estado, governo ou economia jamais precedeu a moral de uma sociedade - e permaneceu existindo. Um aluno não saberia dizer se a nota seis na prova é boa se não houvesse um padrão real do que é bom - a nota dez. Nosso padrão do que é certo e verdadeiro também está exposto nas escrituras sagradas, e sem a existência de Deus ninguém saberia diferenciar o certo do errado - como uma selva que geme pelos efeitos da entrada do mal no mundo. Logo sabemos que matar um inocente ser humano é errado.
Portanto não estou criticando os políticos por conta de sua falta de fé ou liberdade de pensar diferente, mas pela sua defesa ao assassinato de crianças.

Já é um ditado popular: "SÓ É A FAVOR DO ABORTO QUEM JÁ NASCEU". Basta assistir uma luta de um bebê tentando viver na hora do aborto - fugindo desesperadamente do objeto ou química injetada - para entender que o ser humano sem limites vira um verdadeiro monstro insensível. O bebê tenta resistir de todas as formas porque quer viver.

O que caracteriza um assassinato? Seria o fato de estar ou não dentro da barriga da mãe? Isto é ser hipócrita. A vida é gerada dentro da vida, mas não é meramente uma extensão do corpo gerador. Uma vida é uma vida e não um dente que pode ser extraído e jogado no lixo hospitalar.

É lógico que o risco de vida tira a responsabilidade de nossas mãos, nos obrigando a escolher pela vida que tem mais chance - a mãe. Mas em caso de estupro, o inocente não deve pagar pela hediondez. Se a criança não for bem vinda pela memória do fato, poderá ser encaminhada a instituições responsáveis. Assassinar uma criança é tão hediondo quanto o estupro.

Nesse caso a luta é pela vida, e não pela fé. 
A política deveria existir para -justamente- defender a vida.
Conheça os livros do Pr. Adriano Alves clicando aqui

A história de José é a trajetória de um sonhador. E neste quesito seu apelo é universal. Quem não sonha? Todos aspiram, anelam, imagi...

Ele prosperou onde todos fracassaram.



A história de José é a trajetória de um sonhador. E neste quesito seu apelo é universal. Quem não sonha? Todos aspiram, anelam, imaginam e às vezes até devaneiam. Entretanto a história de José não é mais uma quimera. Seus sonhos nos ensinam como sonhar. 
Esta é uma das histórias que mais gosto. É tão encantadora quanto importante. Ocupa cerca de um terço do livro de Gênesis, traçando os alicerces de um povo. Mostra superação, nos anima e nos encoraja a lutar pelos nossos ideais. Na verdade, com José aprendemos que nossos sonhos também podem ser os sonhos de Deus. É claro que o salmista já nos avisou que “não dorme nem tosqueneja o guarda de Israel”. Mas não é do sonho de quem dorme que estamos falando somente. Estou falando de projetos. Sim José nos ensina que vale a pena viver os projetos de Deus. Sonhar os sonhos de Deus.
Apesar de tudo, José foi vendido como escravo pelos próprios irmãos. Imagine um adolescente, queridinho do papai, acostumado com o melhor em sua casa, agora acorrentado, viajando a pé, puxado como um animal. A viagem seguramente durava mais que 30 dias a pé. Este poderia ser o momento em que sua confiança em Deus pudesse desmoronar. Talvez derretesse como cera sob o sol causticante da jornada. Mas se a cera derrete no sol, o barro endurece - debaixo do mesmo sol. E a confiança de José em Deus não era de cera, era de barro mesmo.  Sua segurança em Deus foi moldada pelo sofrimento.
Imagine você. A mesma confiança em Deus que o fez perder tudo deveria continuar existindo naquele coração? Ora, foi por causa da sua fidelidade a Deus que toda aquela dor dilacerava sua vida. Porque cargas d’águas deveria ele continuar fiel e confiante nestas promessas? Na verdade, o que o manteve vivo foi sua fé e um conhecimento pessoal de Deus. Não apenas sobreviveu, mas também prosperou onde muitos teriam fracassado em seu lugar. 
Todos nós em algum detalhe, ou vários, nos identificamos com a história de José. Ele foi traído e ejetado de sua família. Foi vendido por dinheiro. Humilhado em sua condição de escravo. Foi envolvido em uma tentação sexual, e ainda castigado por fazer o correto. Suportou uma longa prisão. E por fim foi esquecido por aqueles a quem um dia ajudou. Mas ao ler a sua história, encanta-nos perceber a reação de José em cada afronta. Ele sempre reagia positivamente. É isto que o fazia prosseguir. Foi assim que cada queda se transformava em um passo para frente.
Eu não posso dizer quanto tempo José ficava se perguntando: -“Porque? Porque isto aconteceu comigo?” José era uma pessoa de carne e osso como eu e você. Não era um super- herói. Também estava sujeito às crises existenciais que atingem todos nós. Mas é certo que sempre superava essas crises. 
E como é possível superar uma crise existencial?
Simples. Conseguindo mudar a pergunta que a crise trás. 
Em vez de perguntar: 
-“Porque?”
Eu devo perguntar: 
-“O que devo fazer agora?”
 Todos que conheceram José percebiam Deus em sua vida, apesar de todos os pesares. Isto pelo fato de sempre fazer a pergunta certa. Não deixando de confiar em Deus. 
Conheça alguns livros do Pr. Adriano Alves - clique aqui

Paulo falou de sua gratidão aos filipenses – O caixa missionário tinha recursos suficientes, não só para suprir os grandes projetos...

Porque algumas igrejas falam tanto de dinheiro?



Paulo falou de sua gratidão aos filipenses – O caixa missionário tinha recursos suficientes, não só para suprir os grandes projetos, como garantir o sustento de Paulo e seus companheiros por algum tempo. Lemos em Fp 4.17-18: 

“Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que aumente a vossa conta. Mas bastante tenho recebido e tenho abundância; cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus”. 

Não é atoa que uma igreja tão pequena, debaixo de perseguição religiosa, numa época de transportes precários e meios de comunicação extremamente lentos, alcançou todo o mundo conhecido de sua época. O Senhor procura igrejas missionárias, para alcançar esta geração. Por isto Paulo pergunta aos Romanos:

“-E como pregarão, se não forem enviados? Assim como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam coisas boas”! (Rm 10.15).

É interessante citar também a rica e próspera cidade de Corinto. Existiam inúmeros filósofos, e pregadores de diversas religiões em Corinto. Viviam como parasitas daquela sociedade. Paulo deixa claro que não era mais um aproveitador: 

“Outras igrejas despojei, recebendo delas salário, para vos servir; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado; porque os irmãos, quando vieram da Macedônia, supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei, e ainda me guardarei, de vos ser pesado”. (2 Co 11.8,9)

O missionário ao chegar a um novo campo deve ter respaldo financeiro, até que a nova igreja atinja um estágio de maturação espiritual. Até que possa sustentar novos campos. Neste caso citado, a Igreja de Filipos na Macedônia se responsabilizou pelo salário de Paulo, para que nada tomasse da igreja de Corinto. Continue lendo em: UMA MISSÃO - DEUS CONTA COM VOCÊ - clique aqui

Há um acontecimento que, aparentemente, tinha tudo para ser a maior tragédia do mundo:  -“E, chegada a hora sexta, houve trevas s...

A cruz tinha tudo para ser a maior tragédia da humanidade



Há um acontecimento que, aparentemente, tinha tudo para ser a maior tragédia do mundo: 

-“E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona. E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni" que, traduzido, é: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste”. (Marcos 15. 33 e 34)

O Senhor Jesus agonizava pregado a uma cruz, foi açoitado, cuspido e humilhado, recebia a pior condenação que um ser humano poderia receber, todos quantos eram pendurados no madeiro eram considerados malditos, eram a escória da sociedade. Com este tipo de execução, os romanos pensavam limpar a sociedade daqueles que consideravam venosos tanto para a comunidade como para o sistema, e Jesus foi, portanto, considerado um lixo a ser descartado.
Aquilo era inimaginável para seus discípulos, parecia ser a maior tragédia do mundo, ver seu mestre exposto daquela forma. Imaginem a dor e a frustração daqueles que seguiam a Jesus, imagine o tamanho da angústia que se apoderou do coração de sua mãe, Maria.
Fico imaginando o tamanho da dor que Deus sentia no momento que entregava seu filho na cruz do calvário, pois se privou daquele instante, e o evangelho não esconde o clamor de Jesus: 
-Deus Meu, Deus Meu, porque me desamparaste? 
A tragédia parecia ser tão aguda, que o próprio Deus privou-se daquela cena angustiante, fato que de longe demonstra que a cruz tinha tudo para ser considerada a maior tragédia do mundo, mas o que parecia aos olhos humanos ser insuperável, Deus fez ser a maior bênção para toda a humanidade.
Os discípulos não podiam compreender. As pessoas próximas a Jesus e seus seguidores também não podiam entender. Mas Deus descortinou o mistério, e hoje podemos glorificar a Deus pelo sacrifício da cruz. Podemos ver o sacrifício da cruz de uma forma completa e terminada. A grande obra que Deus realizou por amor do seu povo. Na cruz, Jesus nos reconciliou com Deus. E porque Jesus ressuscitou, nós juntamente com ele vivemos em novidade de vida. Mattew Henry nos explica com as seguintes palavras:

"Durante as três horas que continuaram as trevas, Jesus esteve em agonia, lutando com as potestades das trevas e sofrendo o desagrado de seu Pai contra o pecado do homem, pelo qual agora oferecia sua alma. Nunca houve três horas como essas desde o dia em que Deus criou o homem na terra, nunca houve uma cena tão tenebrosa e espantosa; foi o ponto sem retorno desse grande assunto, a redenção e salvação do homem."

A Resposta para nossa dor é a cruz. Deus saiu de sua imunidade à dor quando nos visitou em Jesus Cristo. Quando viveu a nossa dor, e comeu a dor e o sofrimento do mundo inteiro na cruz. Na angústia de nossa alma, na perplexidade das tragédias que nos assolam, precisamos conhecer Jesus. Nele encontramos resposta. Aceite Jesus como único Senhor e Suficiente Salvador.


Sem cultivo até o mais belo jardim é tomado de ervas daninhas. Igualmente, sem o estudo bíblico, seremos vítimas das aparências de sa...

Os argumentos dos ateus e agnósticos estão todos vencidos



Sem cultivo até o mais belo jardim é tomado de ervas daninhas. Igualmente, sem o estudo bíblico, seremos vítimas das aparências de sabedoria.

“... o meu povo se perde por falta de conhecimento”. (Os 4.6).


A web, por exemplo, está repleta de lendas - teorias enlatadas e vencidas que continuam circulando por aí como se fosse verdade. Hoje de madrugada, 5 de julho de 2015, deparei-me com uma entrevista do astrofísico americano Neil deGrasse Tyson à Revista Veja On Line. O Título era: “Não vejo evidências que corroborem a existência de Deus”. Logo fiquei muito animado. Já planejava comprar a edição impressa. Pensei que poderia trazer ao meu livro, algum argumento novo para ser debatido em primeira mão. Que decepção! Eram os mesmos famigerados argumentos vencidos que já respondo neste livro. Portanto, não comprei a revista. Apesar de vez ou outra apreciar algum artigo do tal periódico, não posso dizer o mesmo dessa matéria com data de validade vencida. Muitas pessoas caem nestes contos fabulosos porque não se esforçam no conhecimento da Palavra de Deus. Claro! Cultivar o estudo bíblico é trabalhoso! Mas a vida não é feita só de vales, existem os montes, e para sentirmos seu frescor, precisamos conhecer o labor da subida até conquistarmos os cumes mais altos. A lei do menor esforço é o “habitat” ideal para o surgimento da ignorância. Já dizia o filósofo - duvidar de tudo é tão fácil quanto acreditar em tudo, pois ambas as alternativas não exigem o esforço de pensar.
Abordamos neste breve trabalho sete interrogações de grande polêmica na fé cristã. Existe muito mais perguntas a se fazer, e inúmeras réplicas e tréplicas a considerar, mas aqui apresentamos um bom extrato, para que sintamo-nos encorajados a deixar o ostracismo dos vales, e subir o Tabor, e desfrutar de seu frescor.
A maioria das pessoas não desfruta de grandes experiências com Deus. Lettie Cowman cita o seguinte pensamento: -“Muitos se demoram nos caminhos planos, porque têm medo de escalar as montanhas. As ladeiras ásperas os desanimam; então ficam no vale sombrio, e não vêm a conhecer o mistério dos montes. Não sabem o que perdem em sua autocomplacência, a glória que os espera — se apenas tiverem coragem para fazer a escalada; a bênção que encontrariam, se apenas se erguessem até os caminhos de Deus." 

Charles Spurgeon também disse: -“... definham em masmorras, quando podiam andar pelos terraços do palácio e avistar a boa terra e o Líbano! Levante-se da condição em que está. Lance de si a inércia, a letargia, a frieza — o que quer que esteja interferindo em seu amor por Cristo. Seja Ele a fonte, o centro e a circunferência de todo o seu prazer. Não se contente mais com as suas exíguas conquistas. Aspire por uma vida mais plena, aspire por uma vida mais alta, aspire por uma vida mais nobre. Vá para cima. Vá para mais perto de Deus”!

Jerusalém estava cercada pelo exército babilônico, o caos tomava conta de Judá. Eram seus últimos dias antes da invasão inimiga.  (Jr...

O terreno de Jeremias - Investimento de retornos incalculáveis



Jerusalém estava cercada pelo exército babilônico, o caos tomava conta de Judá. Eram seus últimos dias antes da invasão inimiga. (Jr 32.6-15) Mas Jeremias, obedecendo a voz de Deus, faz uma loucura aos olhos de todos: - comprou um terreno naquele lugar e pagou dezessete moedas de prata. Era um ato de fé, diante de uma ordem específica de Deus. Anunciava que Deus traria restauração no tempo certo. Da mesma forma os exércitos malignos tem destruído a moral, o caráter e a fé. O mundo jaz no maligno (1 Jo 5.19). Os corações estão sitiados, e humanamente falando, não há o que possamos fazer. Mas o Mestre nos manda ganhar terreno para ele. E por mais que pareça loucura enviar um missionário, num mundo agitado, onde ninguém quer parar para ouvir o Evangelho, a Igreja tem avançado como um trator no reino das trevas. Milhares de corações se entregam a Jesus, como fruto missionário da igreja. Devemos obedecer a voz de Deus. Vale a pena investir em Missões. Alguém diz que Missão está no coração de Deus, mas eu gosto de dizer que Missões é o próprio coração de Deus, que se humilhou até a forma de homem, e até a morte de cruz. Contribuir com Missões é se deixar usar como cooperador de Deus (1 Co 3.9). Continue lendo em: UMA MISSÃO - DEUS CONTA COM VOCÊ - clique aqui

Satanás apenas pode avançar em território da alma humana debaixo de legalidade. Em Mateus 7.24-27 Jesus disse que a casa é atacada ex...

Sua vida depende do resultado desta guerra



Satanás apenas pode avançar em território da alma humana debaixo de legalidade. Em Mateus 7.24-27 Jesus disse que a casa é atacada externamente: - Chuva por cima, ventos pelos flancos e inundações por baixo. A casa edificada na rocha (Jesus) não pode ser derrubada por nenhum lado externo. Ocorre que Jesus mencionou três lados. Faltou um: - O lado de dentro- o livre arbítrio. Jesus diz: - Eis que estou à porta e bato. (Ap. 3.20). Deus não força ninguém, já o Diabo é extremamente legalista. Uma mínima brecha dá a ele legalidade para entrar e construir uma verdadeira fortaleza em nossos corações. (Rm 6.16).
Satanás luta em uma guerra ilegal e inglória, como os guerrilheiros de forças paramilitares. A garantia da nossa vitória foi comprada na cruz. A Igreja é o resultado da obediência de Jesus ao Pai. Jesus deixou toda a riqueza, poder e glória para atravessar a fronteira do divino e penetrar na dimensão da humanidade, se tornou um ser humano, tomando a forma de servo, até a morte de cruz, onde sofreu a dor e a agonia da morte e da separação do Pai, de quem ele nunca havia se separado. Viveu como homem, e sem pecado, com sangue inocente, pagou o preço que anula toda legalidade do Diabo. Ao morrer substitutivamente por nós, ele desceu ao inferno e, “Espoliou os principados e potestades, e os expôs ao ridículo, triunfando deles pela cruz." (Cl 2.15).
Por isto Jesus fala com propriedade, garantias e autoridade: "Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada absolutamente vos causará dano." (Lc 10.19).Continue lendo em: PRINCÍPIOS DE HONRA - clique aqui

              “-Quando o Titanic afundou, havia um outro navio, o Califórnia, tão perto do Titanic que podia avistá-lo no momento do...

O naufrágio do Titanic poderia ter outra história


             

“-Quando o Titanic afundou, havia um outro navio, o Califórnia, tão perto do Titanic que podia avistá-lo no momento do desastre; tão perto que podia salvar muitos, senão todos os 1500 que pereceram. Mas então, por que não o fez? Porque o telegrafista do Califórnia dormia, e não ouviu os apelos urgentes e repetidos do Titanic. Quatro dias depois, quando os sobreviventes chegaram a Nova Iorque levados pelo navio Carpathia, havia uma multidão composta de 30 mil pessoas aguardando para abraçar os seus queridos enquanto desciam do navio. Também estavam ali os parentes daqueles que desapareceram. Esperando, sem esperança! Então a multidão rompeu num gemido e choro baixo que aumentou em volume e depois diminuiu. Que horror, que angústia, que sofrimento, que perda de vidas....porque um homem, o telegrafista do Califórnia, dormira”! (Jornal Mensageiro da Paz de janeiro de 1945, Orlando Boyer)
Cabe-nos lembrar de Ef 5.14: “Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá”. Continue lendo em: PRINCÍPIOS DE HONRA - clique aqui

Existem dois princípios universais para administrar o seu dinheiro, eles são como nossas pernas, se falharmos em uma andaremos com di...

2 princípios universais para administrar seu dinheiro



Existem dois princípios universais para administrar o seu dinheiro, eles são como nossas pernas, se falharmos em uma andaremos com dificuldade.

1-    Planejamento de Gastos e

2-    Economia de Recursos.

A Bíblia manda submeter nossos planos ao Senhor. (Sl 37.4) Isto pressupõe um planejamento de nossos gastos. (Pv 16.9) Quem não faz um orçamento cuidadoso, nunca vai descobrir quais são seus gastos desnecessários. Em Pv 21:20 diz:  “Há tesouro precioso e azeite na casa do sábio; mas o homem insensato os devora.”

Se ao preencher esta tabela seu SALDO: SALÁRIO MENOS DESPESAS for zero, ou pior que isto, se for negativo, você precisa mudar seu padrão de gastos imediatamente. Viver fora de sua realidade é viver em vaidade (Ec 5.10). O ideal segundo os economistas é que o seu SALDO seja de no mínimo 10% do salário líquido, para aplicar em POUPANÇA. No caso das horas extras recomenda-se poupar este dinheiro integralmente.

Para quem é autônomo e não tem salário fixo, o ideal é calcular a média de seus lucros de 12 meses e planejar seus gastos e economias em cima desta média. Mas como o autônomo não possui FGTS, alguns especialistas recomendam um SALDO para POUPANÇA de no mínimo 20% de seu rendimento mensal. José no Egito poupava 20%.

Porque poupar?

Porque “o homem sensato tem o suficiente para viver na riqueza e na fartura, mas o insensato não, porque gasta tudo o que ganha.” (Pv 21.20 - NTLH).

Porque “o trabalhador relaxado é companheiro daquele que desperdiça.” (Pv 18.9 - NTLH). 

E porque em Pv 27.18 – (NTLH)  diz “Cuide bem da sua figueira e você terá figos para comer”.

Precisamos estabelecer alvos para economizar. Com certeza quase todos os leitores estão concordando que, de fato, precisamos guardar dinheiro, mas no final das contas, muito pouca gente o faz. Porque não conseguem? Porque não estabeleceram metas. A Bíblia mostra um exemplo profícuo: - José estabeleceu uma meta de economizar 20% de toda produção agrícola do Egito durante sete anos de fartura. Veja que a milhares de anos a Bíblia já mostrava princípios fundamentais de administração financeira. Assim como José, precisamos ter clareza de objetivos, metas e alvos bem claros. Continue lendo em PRINCÍPIOS DE HONRA - clique aqui

A primeira igreja de Jerusalém caiu na graça do povo, estava grande, famosa, acomodada como um grupo firme e centralizado naquela cid...

Igrejas famosas e acomodadas X igrejas corajosas e missionárias



A primeira igreja de Jerusalém caiu na graça do povo, estava grande, famosa, acomodada como um grupo firme e centralizado naquela cidade. Mas o Senhor a quebrou, e os seus pedaços se espalharam na expansão do evangelho em outros lugares. Já a Igreja de Antioquia tinha o exemplo de Jerusalém, e se antecipou em consagração, buscando entender o propósito missionário do Espírito Santo. Daí dois importantes líderes são “apartados” para uma missão especial - Paulo e Barnabé. A igreja aprende que enquanto instituição local, não deve pensar apenas no seu fortalecimento. Embora os programas de crescimento da igreja local sejam legítimos, o Espírito Santo ensina que o Corpo também deve ofertar, doar, apartar, renunciar em prol de pessoas que nunca vimos, cidades que nunca conhecemos, países que a maioria de nós jamais pisará. Seja Missão Pátria ou Transcultural, a responsabilidade está sobre os nossos ombros. Devemos pensar além de nossa bonita igreja, devemos doar de forma corporativa. Continue lendo aqui: UMA MISSÃO - DEUS CONTA COM VOCÊ - clique aqui

O evento futuro que está mais perto de nós, sem dúvida, é a morte. A Bíblia mostra a ansiedade humana por respostas: “ Morrendo o hom...

Onde estão os mortos?



O evento futuro que está mais perto de nós, sem dúvida, é a morte. A Bíblia mostra a ansiedade humana por respostas: Morrendo o homem, porventura, tornará a viver? (Jó 14.14). E de fato, a morte é o primeiro efeito externo do pecado sobre o homem: Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram. (Rm 5.12). Não obstante ser a primeira a entrar, Paulo diz que a morte será o último efeito do pecado, do qual seremos salvos: Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte”. (1 Co 15.26). Mas a grande pergunta é: “-Onde estão os mortos?” A revelação desta questão na Bíblia se desenvolve progressivamente. Ao chegarmos ao Novo Testamento, Jesus lança luz a essa questão. Portanto, a resposta divide-se a duas fazes: “-antes e depois da ressurreição de Cristo”. Jesus revela que os mortos estavam, até antes da sua ressurreição, num lugar chamado Hades, (Lc 16.23), que em hebraico é Sheol. Ambas as palavras denotam o mundo dos mortos, onde justos e ímpios estavam separados por um abismo intransponível. Mas um evento de proporções universais e eternas chacoalhou a habitação dos mortos. Em Ef 4.9 vemos que Jesus, após morrer na cruz, desceu as partes mais baixas da terra, ao mundo dos mortos. Em Cl 2.15 diz que: “-despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo. Já que “em tudo foi tentado, mas sem pecado”, (Hb 4.15), Jesus pôde rasgar a promissória do pecado que pesava contra nós. (Cl 2.14). Em Ef 4.8 diz que Jesus levou “cativo o cativeiro”. Poucos instantes antes de morrer, ele prometeu ao ladrão da cruz, “-hoje estarás comigo no Paraíso. (Lc 23.43). Portanto, Jesus levou os mortos justos ao céu, lugar que chamou de Paraíso. Paulo corrobora esta revelação em 2 Co 12.1-4 afirmando que o Paraíso está no terceiro céu. Podemos conjecturar que o primeiro céu é a atmosfera terrestre, o segundo céu é o espaço sideral. Assim o terceiro céu está em uma dimensão desconhecida aos seres humanos.
Contudo, se houve mudanças para os justos, pergunta-se: “- E os mortos ímpios? Onde estão?” - Não houve mudança alguma para eles. Continuam no Hades, em prisões, aguardando o dia do julgamento final de Ap 20.13-15.
Conheça meus livros digitais em https://www.facebook.com/adrianoalvesmissaoeditorial/shop/?rt=19

A oração é preponderante em uma Igreja Missionária. Trata-se de uma arma tão poderosa, que somente a eternidade poderá nos revelar se...

Somente a eternidade poderá revelar o poderoso efeito da oração em missões



A oração é preponderante em uma Igreja Missionária. Trata-se de uma arma tão poderosa, que somente a eternidade poderá nos revelar seu poderoso efeito. Paulo, por toda parte pedia oração por seu ministério. Lemos diversas vezes sua convocação para a intercessão missionária. Deus escolheu este expediente. A visão da igreja se abre quando ela ora. Foi o que aconteceu com Pedro, comissionado por Deus a pregar na casa de Cornélio. Ele estava orando e Deus expandiu sua visão missionária. (At 10.9-16). É pela oração que a Igreja, mesmo a milhares de quilômetros do campo missionário, participa dos grandes embates espirituais em intercessão. É assim que Paulo entendia: 

Rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que luteis juntamente comigo nas vossas orações por mim a Deus, para que eu seja livre dos rebeldes que estão na Judeia, e que este meu ministério em Jerusalém seja aceitável aos santos; a fim de que, pela vontade de Deus, eu chegue até vós com alegria, e possa entre vós recobrar as forças”. (Rm 15.30-32).

          C onta-se que, na Guerra Russo-Japonesa, o exército japonês empreendeu um ataque a Port Arthur. Ao se aproximar do inimigo, ...

Os soldados que se ofereceram para morrer pelo imperador


         
Conta-se que, na Guerra Russo-Japonesa, o exército japonês empreendeu um ataque a Port Arthur. Ao se aproximar do inimigo, encontraram cercas de arame farpado. Estavam impedidos de atacar. Sem saída, teriam que recuar debaixo de fogo inimigo. Então o comandante pediu voluntários de seu exército para cortar as defesas de arame farpado. Deixou bem claro que não levariam armas, apenas um alicate. Explicou que seriam alvos dos atiradores inimigos, e que conseguiriam cortar um ou dois fios e cair morto. Em seu lugar outro voluntário cortaria mais um ou dois fios e também seria alvejado, até que todos os fios fossem cortados. O comandante argumentou que, apesar de morrerem, estes voluntários saberiam que por cima de seus cadáveres, o Exército do Imperador marcharia para a vitória. O incrível desta história é que regimentos inteiros se ofereceram em sacrifício, mesmo sabendo que morreriam. Certo político japonês, ao contar esta história, explicou que os japoneses não adoram o Imperador, mas o amam com total dedicação. Daí lançou um desafio aos cristãos: - “Se vocês, os cristãos, amassem o seu Deus tanto quanto amamos o nosso Imperador, já há muito tempo teriam conquistado o mundo para ele”.

Multidões de almas se encontram presas pelas forças espirituais do maligno. Nações inteiras, tribos, cidades, aldeias, nos mais longínquos rincões, no Brasil ou exterior, estão sob pesadas cadeias do mal. E nós? Ficaremos indiferentes? Poderia nossa consciência cristã, não nos alertar da urgência da obra missionária? Ou estará adormecida com o sono da indolência? Estas e outras questões de conscientização missionária, queremos abordar neste livro: UMA MISSÃO - DEUS CONTA COM VOCÊ - clique aqui



Existe uma tendência venal do coração humano de fortalecer seu grupo, sua instituição, sua igreja, seu campo... Tendência esta que es...

Uma missão - Deus conta com você



Existe uma tendência venal do coração humano de fortalecer seu grupo, sua instituição, sua igreja, seu campo... Tendência esta que estabelece grupos firmados, com um legítimo desejo de ter os melhores templos, os melhores congressos, multidões reunidas em torno de si mesmas. O Espírito nos ensina que devemos pensar além de nossa bonita igreja. Missão é  investir e renunciar muitas coisas em prol de cidades que nunca conhecemos, países que a maioria de nós jamais pisará.

Muitos consideram Missões como um departamento ornamental da igreja. Um paramento litúrgico, para servir de tema de congressos apoteóticos. Nesta obra o leitor é desafiado a rever os valores tradicionalistas denominacionais. Este é um estudo bíblico claro de Missões na igreja primitiva e sua aplicabilidade nos dias de hoje. Leia o e-book: UMA MISSÃO - DEUS CONTA COM VOCÊ - clique aqui

Satanás rebelou-se contra Deus e arrastou consigo a terça parte dos anjos - e obviamente, Deus poderia ter deletado ali mesmo o malig...

Deus não regula a liberdade de expressão de quem critica seu governo



Satanás rebelou-se contra Deus e arrastou consigo a terça parte dos anjos - e obviamente, Deus poderia ter deletado ali mesmo o maligno. Mas seria imoral. Deus não criou seres dirigidos por controle remoto, ou programados por um software para amá-lo, até mesmo porque o nome disto não seria amor, mas digamos “um aplicativo espiritual”. Deus criou seres livres para amá-lo ou não, com personalidade própria. Não pode existir liberdade para amar sem que isto também implique em liberdade para odiar, assim como não pode existir um quadrado redondo. Se Deus interrompesse a existência do Diabo, estaria conspirando contra seus próprios princípios de liberdade. Os dois terços de anjos fiéis teriam motivos para acusar Deus, caso simplesmente apagasse Satanás e sua trupe. Logicamente a escolha de ficar longe de Deus implica em ficar fora de sua Graça Comum, ou seja, ser privado de toda graça sustentada por sua presença, o que a Bíblia chama de inferno. Ao seu tempo toda rebelião será justamente julgada, e banida para fora da graça de Deus. Desde então a Bíblia detalha Satanás fazendo guerra contra Deus e o seu povo. Vemos por exemplo a oposição de Satanás em Zc 3.1: “Então ele me mostrou o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do Senhor, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor”. Satanás tem liberdade para contar suas mentiras na terra, assim como às contou no céu, convencendo os anjos que caíram. (Jo 8.44). Contou mentiras a Adão e Eva e continua fazendo mais do mesmo a milhares de anos. Aqueles que praticam a mentira do Diabo abrem legalidade para o seu agir na terra, roubando, matando e destruindo. (Jo 10.10). Deus não rege o universo com censura, portanto, não regula a liberdade de expressão de quem critica seu governo, apenas adverte sobre suas ciladas, prometendo livrar aqueles que estão em Cristo. Para resistir ao assédio espiritual do Diabo, que nos compele contra Deus, precisamos empreender - batalhas no mundo espiritual - usando a autoridade que nos foi outorgada na cruz. A Bíblia nos adverte sobre a seriedade desta batalha:
“Não deis lugar ao diabo”. (Ef 4.27);
“Revesti-vos de toda armadura de Deus para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.” (Ef 6.11);
Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum. (Mc 9.29);
“Sujeitai-vos, portanto, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”. (Tg 4.7);
De acordo com Strong a palavra “resistir” no original grego é anthistemi”, pode ser traduzida como: “colocar-se contra, opor-se. A mesma palavra aparece em Ef 6.13 e 1 Pe 5.8,9. Inegavelmente estamos em uma batalha espiritual, queiramos ou não. Leia mais em PRINCÍPIOS DE HONRA - clique aqui e 7 RESPOSTAS SOBRE A EXISTÊNCIA DE DEUS - clique aqui


Encontramos na Bíblia três funções para o dinheiro: 1. O dinheiro serve para suprir nossas necessidades. No entanto devemos reco...

3 funções para o dinheiro na Bíblia



Encontramos na Bíblia três funções para o dinheiro:

1. O dinheiro serve para suprir nossas necessidades. No entanto devemos reconhecer sua fonte. Por mais hábeis profissionais que sejamos, devemos reconhecer nossa dependência do Supremo Provedor do Universo. Em Fp 4.19 diz: “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.” Ex.: (Mt 6.31-33).

2. O dinheiro serve para ajudar ao necessitado. E melhor seria se o fizéssemos sem julgamentos. Está em Rm 12:13: “...acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade;” (Outras  referências: Sl 37:21; Ef 4:28).

3. O dinheiro serve para sustentar os Ministros do Evangelho bem como os projetos que potencializam a pregação do Evangelho na Terra. Na igreja primitiva os recursos humanos são sempre prioridades. Veja o que diz I Tm 5.17-18 (Bíblia Viva): “Os pastores que fazem bem o seu trabalho, devem ser bem pagos e altamente estimados, de maneira especial aqueles que trabalham arduamente, tanto pregando como ensinando. Porque as Escrituras dizem: - Nunca amarre a boca de um boi quando ele está pisando o grão, deixe-o comer enquanto anda! E em outro lugar: Aqueles que trabalham, merecem pagamento!” (Outra Referência em Fp 4.17-18).



Sucesso na Bíblia nem sempre é considerado sucesso no mundo. O sucesso na Bíblia não diz respeito a quanto dinheiro você tem, mas o q...

O trabalho não deve ser apenas uma relação de troca por dinheiro



Sucesso na Bíblia nem sempre é considerado sucesso no mundo. O sucesso na Bíblia não diz respeito a quanto dinheiro você tem, mas o que você faz com ele - e por ele.
        Notadamente as pessoas gastam tempo para ganhar dinheiro. É uma relação estranha, movida pela necessidade de sobrevivência. No entanto, o trabalho deve ser uma vocação ou uma chamada, jamais uma relação de troca de tempo por dinheiro. Entendemos isto em 1 Co 10.31: 

“-fazei tudo para glória de Deus. 

     Ou seja, devemos glorificar a Deus com o nosso trabalho. O dinheiro vai vir a reboque, como fruto financeiro. O dinheiro deve glorificar a Deus.

       Leia mais no livro: PRINCÍPIOS DE HONRA.

Está disponível na versão digital aqui: https://go.hotmart.com/V6821366W


Para adquirir a versão impressa é só mandar uma mensagem: pr.adr.alves@hotmail.com




E xistem muitas teorias enlatadas vagando na web. Questões que já foram vencidas e respondidas a muito tempo. Mesmo assim circulam po...

7 respostas sobre a existência de Deus



Existem muitas teorias enlatadas vagando na web. Questões que já foram vencidas e respondidas a muito tempo. Mesmo assim circulam por aí como se fossem fatos inquestionáveis. Nesta obra temos um bom extrato para quem quer sair da média. Acreditar em tudo ou duvidar de tudo é muito fácil. Dispensa o trabalho de pensar. A lei do menor esforço é o “habitat” ideal para o surgimento da ignorância. 
Meu desejo é que você possa romper com as barreiras preconceituosas à mensagem cristã.
Abordamos neste trabalho SETE QUESTÕES de grande POLÊMICA levantadas por ATEUS E AGNÓSTICOS:

- Deus existe?
- Porque não vejo Deus?
- Se Deus é bom, porque permite o mal e o sofrimento?
- Se existe um Deus bom, como explicar a inquisição católica romana?
- Se Deus é bom, como explicar e inferno?
- A Bíblia merece confiança?

- Posso interpretar a Bíblia do meu jeito?

O livro está disponível na versão digital aqui: https://go.hotmart.com/V6821366W

Para adquirir a versão impressa é só mandar uma mensagem: pr.adr.alves@hotmail.com

É muito importante planejarmos os nossos dias, não permitindo que a ansiedade ou preocupações diversas nos tirem de nosso foco. Faç...

Planeje o seu dia e evite os ladrões do tempo




É muito importante planejarmos os nossos dias, não permitindo que a ansiedade ou preocupações diversas nos tirem de nosso foco. Faça uma lista diária e vá riscando o que já fez. No final do dia você vai se surpreender com quanta coisa conseguiu fazer. Isto vai servir de motivação para se organizar cada vez mais. Aprenda a trabalhar com o que é importante, e não somente com o que é urgente. Coloque na sua lista três ou quatro coisas que não são urgentes, mas são importantes, que gostaria de fazer. Quando tiver uma tarefa difícil, complicada ou desagradável, um problema chato para resolver, não fique adiando para as próximas horas do dia. Separe o primeiro horário para cair com tudo em cima da questão, poucas coisas resistem a um ataque maciço. Em alguns minutos ou horas a questão estará resolvida e o resto do dia vai ser muito mais leve e agradável. Mas para obter sucesso tem que ter concentração. Não queira fazer três coisas de uma vez. Não interrompa seu trabalho para ficar batendo papo, com o colega ou no telefone.

Todavia, trabalhar durante longos períodos, sem pausa para descanso também é perca de tempo. O repouso aumenta a eficiência, beneficia a saúde e alivia a tensão. É importante fazer pausas a cada duas ou três horas, descansar um dia por semana e tirar férias anuais ou semestrais, pode ter certeza que o mundo não vai parar por causa disto, e no fim das contas seu rendimento será maior.

Busque a direção de Deus, planeje o seu tempo, 

“- Confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos”. (Pv 16.3).

Precisamos fazer uma lista de toda atividade improdutiva que rouba nosso tempo. A pós-modernidade é marcada por uma oferta muito grand...

Quando o pus do inferno é chamado de cultura.



Precisamos fazer uma lista de toda atividade improdutiva que rouba nosso tempo. A pós-modernidade é marcada por uma oferta muito grande de “cultura”. Todos os anos, enxurradas de músicas, filmes, novelas, programas, aplicativos e games são lançados para nosso consumo. Precisamos eleger o que vamos consumir, mas jamais consumir indiscriminadamente. O sujeito trabalha o dia inteiro, mas ao final do dia entrega-se ao sofá, e passa uma, duas, três horas consumindo o pus do inferno em horário nobre da televisão. Paulo é claro em 2 Tm 2.16: 

“- ... evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade. 

Nossos momentos de lazer devem ser bem aproveitados, consumindo programações televisivas saudáveis, lendo bons livros, praticando atividades físicas, sem preterir jamais nosso tempo de leitura bíblica e oração e sem roubar o tempo da família. Nesta lista improdutiva pode estar, por exemplo, longas conversas ao telefone, noites na frente do computador, horas nas redes sociais entre outras coisas que roubam o nosso tempo. Por isto parece que alguém tem dias de 40 horas e outros de 15 horas, mas quando elegemos prioridades e listamos as atividades daninhas, nos surpreendemos com o resultado.

E m At 6.1-4 os apóstolos reconhecem que não é razoável deixar a Palavra, por mais nobres que fossem as ocupações sociais. Isto se ch...

Obreiros Que Não Elegem Prioridades



Em At 6.1-4 os apóstolos reconhecem que não é razoável deixar a Palavra, por mais nobres que fossem as ocupações sociais. Isto se chama: “-eleger prioridades”. Imagine um empresário, de quem depende centenas de empregados, parar sua rotina para pintar seu escritório, só para não pagar R$150,00 a um pintor. Com certeza sua mão de obra vai sair bem mais cara, porque sua hora de trabalho lhe rende muito mais. Jesus nos mandou orar, porque a seara é grande e são poucos os ceifeiros. Imagine se os ceifeiros de nossa geração não elegerem prioridades. Quantos prejuízos espirituais, quantas almas não alcançadas, quantos discípulos não formados, quanto trabalho temos em nossas cidades? Moisés, lá no deserto, aprendeu delegar os trabalhos que outros podiam fazer, para que seu tempo fosse das prioridades para as quais Deus o chamou. (Ex 18.17-21).

E ram três servos na parábola dos talentos, mas a maior parte da estória não foi gasta com os servos fiéis que dobraram a riqueza de s...

O homem que teve a coragem de enterrar o talento que recebeu



Eram três servos na parábola dos talentos, mas a maior parte da estória não foi gasta com os servos fiéis que dobraram a riqueza de seu senhor. O ponto alto da narração é quando um homem teve a coragem de enterrar o talento que recebeu. O medo do fracasso o levou a enterrar aquelas riquezas. Mas não sintamos pena deste homem, porque o que causou seu medo foi o orgulho. É o tipo de pessoa que sempre acha algum defeito no ministério de quem faz alguma coisa na obra de Deus. Mas ele mesmo não se arrisca na batalha pelas almas. O medo das críticas o deixa paralisado. Não suporta a ideia de ser criticado. Na verdade, só tememos que os outros nos façam aquilo que temos coragem de fazer aos outros. O orgulho é o combustível deste tipo de medo, são pessoas extremamente vaidosas, mas estão “deitadas eternamente em berço esplêndido”, neste sentido é que os tímidos ficarão de fora. Existem duas maneiras de pecar: fazendo coisas erradas e deixando de fazer as coisas certas. Certo imperador romano dizia: 
“- Perdi um dia!” - quando não tinha feito nada de bom pelo povo. Era um homem ímpio, mas deixa muitos cristãos envergonhados. 

“Aquele pois que sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado”. (Tg 4.17).