Precisamos fazer uma lista de toda atividade improdutiva que rouba nosso tempo. A pós-modernidade é marcada por uma oferta muito grand...

Quando o pus do inferno é chamado de cultura.



Precisamos fazer uma lista de toda atividade improdutiva que rouba nosso tempo. A pós-modernidade é marcada por uma oferta muito grande de “cultura”. Todos os anos, enxurradas de músicas, filmes, novelas, programas, aplicativos e games são lançados para nosso consumo. Precisamos eleger o que vamos consumir, mas jamais consumir indiscriminadamente. O sujeito trabalha o dia inteiro, mas ao final do dia entrega-se ao sofá, e passa uma, duas, três horas consumindo o pus do inferno em horário nobre da televisão. Paulo é claro em 2 Tm 2.16: 

“- ... evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade. 

Nossos momentos de lazer devem ser bem aproveitados, consumindo programações televisivas saudáveis, lendo bons livros, praticando atividades físicas, sem preterir jamais nosso tempo de leitura bíblica e oração e sem roubar o tempo da família. Nesta lista improdutiva pode estar, por exemplo, longas conversas ao telefone, noites na frente do computador, horas nas redes sociais entre outras coisas que roubam o nosso tempo. Por isto parece que alguém tem dias de 40 horas e outros de 15 horas, mas quando elegemos prioridades e listamos as atividades daninhas, nos surpreendemos com o resultado.