5 lições no deserto com Jesus

5 lições no deserto com Jesus
5 lições no deserto com Jesus

Na estrada para Betsaida havia uma região desértica – sem nenhum cultivo. Era um lugar muito solitário e perigoso. Jesus tinha ido para lá junto com seus discípulos. De alguma forma os habitantes de lugares ao redor ficaram sabendo onde ele iria passar. Quando o mestre chegou ao lugar já havia uma grande multidão o esperando.

Curas e libertação no deserto

Durante todo aquele dia Jesus ensinou e libertou muitas pessoas de doenças e demônios. Eram tantas as necessidades que o dia passou rapidamente. 

Havia cerca de cinco mil homens além de mulheres e crianças – e estavam todos com Jesus no meio do deserto – sem alimento.
A hora já estava avançada e não havia onde buscar alimento. 

Os discípulos tinham apenas cinco pães e dois peixes, que era uma refeição suficiente para treze homens – Jesus e seus discípulos. E eles não viam a hora de Jesus despedir a multidão para comerem. 

Certamente estavam com muita fome depois de um exaustivo dia de trabalho. Mas as necessidades das pessoas eram tantas – a fila não acabava nunca – pessoas sendo impactadas por Jesus – e a hora se foi. 

— E agora? O que fazer com este povo?
— Despede a multidão, porque a nossa comida não dá para todos. 

Mas em pleno deserto, ao anoitecer, homens, mulheres e crianças estavam à mercê de diversos perigos e distante de qualquer provisão.

Eu aprendo,

5 lições no deserto com Jesus

Mt 14. 13-21

1 – As vezes nos confrontam problemas, mesmo sendo nós  discípulos de Jesus.

Jesus disse que no mundo teríamos aflições. Mas sua ordem é para que tenhamos bom ânimo nestes momentos. Há muitas pessoas que se iludem com mensagens do tipo torrão de açúcar – e ficam pensando que servir a Deus é viver em um grande mar de rosas. Mas lembre-se: rosas têm espinhos. 

A vida com Cristo é maravilhosa, mas ainda não estamos imunes aos problemas.

E as vezes nos acometem problemas de grandes proporções. A multidão era vasta (v.14). E além de ser grande, o problema era urgente – o tempo não espera (15). E pior ainda é quando não há o que fazer humanamente falando. 

No deserto com Jesus

Mas é melhor estar no deserto com Jesus do que nas campinas verdejantes sem Deus. Vale mais a pena estar na provação com Jesus do que desfrutar de uma ilusão e não ter sentido para a vida. 

É no deserto que vemos Jesus operar. E aquela multidão sabia muito bem disso. Por isto escolheram estar lá.

2 – Jesus está a disposição para solucionar nossos problemas.

Jesus não permitiria que aquela multidão perecesse no deserto. Então ele faz um pedido. 

Os discípulos deveriam dar o que tinham – que era o suficiente apenas para eles. 

E aqui está uma condição para vermos os milagres de Deus – entregar nossos recursos limitados. 

Eles não iam dar das sobras para Jesus. Não deveriam primeiro tirar o deles e depois, se sobrasse alguma coisa, entregar ao Senhor. Não. Jesus pede aquilo que é significativo para nós. Os discípulos resmungaram. Não pareciam acreditar que Jesus tinha pedido aquilo. Mas sob suas ordens resolveram obedecer

Você quer os recursos ilimitados de Deus? Entregue os seus recursos limitados para ele. Deveriam fazer sem questionar. O egoísmo impede muitas pessoas de aprender esta lição.

3 – Jesus se interessa por nossas necessidades.

Alguém diz que o Senhor tem mais o que fazer para se preocupar com comedor de feijão. Bom, no Oriente Médio se comia pão e Jesus se preocupou com eles. 

Se interessou por seus problemas. 

Ele também se interessa por você – apesar de realmente ser o régio governador de todo o universo – você é mais importante que o mundo todo. Ele te ama e se interessa por você. 

Quem sabe o sistema não dá valor para você. Sua família ou amigos não tenham te compreendido, mas Jesus te considera quando outros não se importam. Os discípulos não se importavam tanto e queriam mandar o povo embora. Mas Jesus olha para você de forma diferente.

4 – Jesus não se limita pela falta de recursos.

Os recursos que eles tinham eram circunstancialmente limitados. Não havia como alimentar tanta gente dividindo as migalhas. Mas o agir de Deus não para só porque nosso recurso acabou. Ele diz:

— Tragam o que vocês têm.

E a obediência à palavra de Jesus trás à existência aquilo que não existia. Eu não sei qual é a sua limitação neste momento, mas venho da parte de Deus te dizer que Deus não se move por recursos – ele se move por propósitos. 
O Deus da visão é o Deus da provisão. Recebe aí em nome de Jesus.

5 – Jesus supre as nossas necessidades.

Jesus mandou que se assentassem, partiu o alimento dentro do cesto e mandou que os doze servissem a multidão. Todos se alimentaram alegremente. Jesus fez o pão se multiplicar dentro dos cestos.

Jesus supre as nossas necessidades com abundância. 

O versículo vinte diz que cada um comeu até ficar satisfeito. E ainda  Jesus nos provê muito mais do que o suficiente, porque o texto diz que quando os restos foram recolhidos, havia doze cestos de sobra.

Abundância no deserto com Jesus

Os judeus eram chamados de cistifer, “aquele que carrega cesto”. Era um costume muito antigo. E os doze discípulos ofertaram naquela tarde o seu alimento e usaram seus cestos para dividir os pedaços e distribuí-los pela multidão. Todos os doze tiveram de volta seus cestos cheios de pães porque Deus não deve nada para ninguém. 


Quando contribuímos com sua obra, temos além de um privilégio, uma garantia de sua fidelidade.

Deus te abençoe!

Eu te aviso por email quando escrever um artigo novo

Universidade da Bíblia