A cruz foi um método de execução de condenados à pena de morte. Era muito usada pelos romanos. Existiram vários tipos de cruz – sempre ...

Qual o significado da cruz de Cristo?


A cruz foi um método de execução de condenados à pena de morte. Era muito usada pelos romanos. Existiram vários tipos de cruz – sempre com o propósito de aplicar a pena de morte da forma mais lenta e dolorida possível. Os romanos faziam o condenado carregar uma pesada viga de madeira chamada “patibulum” até o lugar da execução. Ao chegar ao lugar de sua morte, o condenado encontrava outra viga de madeira fincada no chão. O condenado abria os braços sobre a viga que havia levado e era pregado a ela. Em seguida era içado por cordas rente ao poste, formando uma cruz – e seus pés eram pregados ao poste. A morte vinha lenta e dolorosa. A cruz ganhou significado e se tornou um grande símbolo religioso após a crucificação de Cristo.

A cruz de Cristo

Jesus Cristo de Nazaré foi condenado à morte pelos romanos. Os líderes religiosos da época viam em Cristo uma ameaça ao seu sistema religioso e político. Após três anos e meio de pregação de Jesus por toda Judeia e Galileia, os principais sacerdotes conseguiram insuflar as autoridades romanas contra o jovem pregador. Primeiramente ele foi açoitado por carrascos ao ponto de quase ter morrido ali mesmo de hemorragia. Os carrascos romanos usavam chicotes com pedaços de ferro e ossos nas pontas para rasgar a carne do criminoso. Em seguida, Jesus teve que reunir forças para chegar ao lugar da execução. Pregos romanos de aproximadamente 15 cm perfuraram seus pulsos, seguindo o rito romano de execução. O prego perfurava entre os dois ossos do antebraço onde passa um nervo chamado ulna. Este é o mesmo nervo que percorre todo o braço e causa choque ou fortes dores no cotovelo quando em atrito. Uma expressão foi cunhada só para explicar a dor da crucificação – dor excruciante. Seus pés igualmente foram perfurados – e seu corpo distendido na cruz. Para respirar, Jesus tinha que fazer força sobre os pés cravados por um prego a fim de conseguir soltar o ar – e respirar de novo. Neste processo – a cada movimento de respiração – suas costas com profundos cortes dos chicotes resvalavam na madeira cruenta da cruz. Os braços com seus nervos esmagados tinham que ajudar a suportar o peso do movimento na hora de respirar. Este movimento repetitivo causava dores atrozes e levava o condenado à exaustão. 

A causa da morte

Chega o momento em que não há mais condições motoras de se levantar para soltar o ar e respirar de novo. O coração está acelerado por causa da grande perca de sangue – já está sobrecarregado e não dá mais conta de bombear sangue para todo o organismo. Sem respirar direito - o gás carbônico faz o coração, antes acelerado, dar as primeiras falhas, e começa bater de forma intermitente. Jesus percebe quando seu coração começa falhar – sua vida irá se esvair naquele instante. Reuni todas as forças que ainda lhe restam e solta o ar pela última vez – em um grande brado:

— “Está consumado”.

E Jesus morreu.

Seu coração explodiu.

Reações imediatas da cruz de Cristo

No mesmo instante, um grande véu que havia no templo separando o acesso sagrado se rasga de alto a baixo inexplicavelmente. O céu se escureceu. A terra tremeu. Rochas se fenderam e o tempo também se fendeu – em duas partes – antes e depois de Cristo.
Alguns soldados vendo a cena dizem:
— “Ele era inocente”
Existem diversos relatos em obras contemporâneas além do testemunho dos quatro evangelistas.

O significado da cruz de Cristo

Foi para este exato momento que ele veio ao mundo. Para a cruz. Mesmo sendo Deus, humilhou-se até a forma de homem – e até a morte de cruz – a mais humilhante de todas as mortes. O Senhor Jesus disse:

“Ninguém tira a minha vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade. Tenho o direito de dá-la e de tornar a recebê-la, pois foi isso o que o meu Pai me mandou fazer.” (Jo 10.18)

Ele saiu de sua imunidade a dor e veio ao nosso mundo rebelde e orgulhoso. Qualquer um de nós, no lugar de Deus, teria entregado o mundo a si mesmo. Mas ele nos amou de tal maneira.
Pesava sobre nós uma condenação pelo nosso pecado. Mas ele se fez pecado por nós. Rasgou o véu que nos separava de Deus – e agora podemos viver uma nova vida em Cristo. A cruz era o meu lugar. A cruz significa o que todos nós merecemos de fato – principalmente os orgulhosos religiosos que acham que tem algum mérito. Todos pecaram e destituídos foram da graça de Deus. Mas ele nos reconcilia com Deus – assumindo nosso lugar na cruz. Seu sangue tem poder para perdoar o mais venal pecador da face da terra. Perdoou até a mim – imagine o poder deste sangue que verteu pelo lenho seco da cruz, que molhou a terra poeirenta do Gólgota. Aquela terra seca era eu. Infértil, pisado e humilhado – mas o seu sangue... ah o seu sangue me deu vida.

“Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.” (1 Pd 2.24)

Ao terceiro dia ele ressuscitou e milhões de nós dão testemunho de que ele está vivo, e continua operando no mundo através dos seus discípulos.

Você leu este resumido relato até aqui, e eu quero dizer que a história da sua vida e da sua família pode igualmente ser dividida em antes e depois de Cristo. O poder que emanou de Cristo na cruz é suficiente para romper todos os grilhões que pesam em sua família.Em Cristo entendemos o verdadeiro sentido da paz. Aceite a Jesus agora mesmo como único Senhor e suficiente Salvador.

Você foi abençoado com esta palavra? Ajude-me a expandir o seu alcance. Sua oferta é muito importante. Saiba como contribuir AQUI.


Conheça os meus livros AQUI